Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Decreto-lei 204-A/79, de 3 de Julho

Partilhar:

Sumário

Aprova a tabela de vencimentos da função pública, bem como os valores dos demais benefícios e remunerações.

Texto do documento

Decreto-Lei 204-A/79

de 3 de Julho

1. Na sequência da aprovação de um conjunto de diplomas que introduzem alterações relevantes no regime da função pública, dos quais se salientam os que estabelecem o novo regime do pessoal dirigente e procedem à estruturação das carreiras tipos, importa adoptar disposições de natureza remuneratória que os complementem e possam contribuir para a consecução dos objectivos de modernização pretendidos.

Ao presente diploma preside um espírito de coerência sistemática, desde há muito arredado destas matérias, normalmente sujeitas a regulamentos de sentido meramente conjuntural e de resposta pontual a situações de rupturas graves.

Caminha-se assim com esperança para uma função pública dignificada, motivadora de todos aqueles que, constitucionalmente, estão ao exclusivo serviço do interesse público. E importa que este seja satisfeito de forma eficaz e eficiente.

2. Sem esquecer as dificuldades financeiras que o País atravessa, exigindo medidas rigorosas de contenção do deficit do Orçamento, foi, no entanto, possível destinar aos novos benefícios para o funcionalismo uma verba global que é significativamente superior à atribuída nos últimos anos.

Consagra-se, deste modo, um conjunto integrado e harmónico de medidas que se consubstanciam na revisão da tabela salarial, numa tabela autónoma de vencimentos para o pessoal dirigente, na actualização das diuturnidades, na adopção de novo valor para o subsídio de refeição, na valorização das pensões de reforma e aposentação, de sobrevivência e de preço de sangue e no alargamento dos benefícios da ADSE.

Ao mesmo tempo, sem verdadeiramente inovar, avança-se na correcção de inúmeras disposições legais sobre o estatuto remuneratório da função pública, introduzindo as orientações entretanto assumidas pela via da interpretação e do preenchimento de lacunas e omissões da legislação até agora em vigor. Resolvendo dúvidas resultantes da aplicação dessas normas, clarifica-se o regime das remunerações acessórias, das gratificações, designadamente por acumulação, das inerências e outros pontos de menor relevância, dando um significativo passo na uniformização do sistema, sem ignorar as especificidades que importa acautelar.

Em todo o processo de elaboração do diploma tiveram-se na devida conta as posições defendidas pelas organizações sindicais representativas dos funcionários e agentes, vindo alguns dos seus contributos a receber plena integração.

3. A tabela de vencimentos surge desdobrada em duas fases de aplicação, e nessa medida vigorará desde 1 de Janeiro do corrente ano, na previsão e atendendo à prática, que vem recebendo consagração, da sua anualidade.

A primeira fase, aplicável até 30 de Junho, conduz a um aumento médio ponderado de 10% minorando tanto quanto possível, de maneira uniforme, a degradação entretanto sofrida pelo poder de compra. A segunda fase já tem em consideração a entrada em vigor do diploma sobre estruturação de carreiras, adequando-se aos princípios básicos nesta consagrados. Por essa razão apresenta aumentos percentuais diversos, que, conduzindo embora a um pequeno alargamento do leque salarial, vem facilitar a sua articulação com o novo sistema de carreiras.

O encargo anual com a nova tabela de vencimentos cifra-se em 6,115 milhões de contos, conduzindo a um aumento ponderado anual de 15%.

Com a entrada em vigor do diploma contendo o novo regime do pessoal dirigente, por sua vez, deixa de se justificar a manutenção do regime «excepcional e transitório» do Decreto-Lei 3/79, de 11 de Janeiro. Procede-se à sua revogação expressa, dando-se cumprimento ao disposto no artigo 6.º do Decreto-Lei 191-F/79, de 26 de Junho, acautelando as situações criadas, mas pondo fim, definitivamente, às restantes gratificações de chefia ainda existentes.

4. No que respeita à actualização das pensões, foi desenvolvido um importante esforço orçamental, que se justifica plenamente pela circunstância de, desde 1977, não se ter podido rever o valor das pensões na função pública, embora se tenha integrado, no mesmo ano, no respectivo cálculo, as diuturnidades fixadas no Decreto-Lei 330/76, de 7 de Maio.

Não se tratando ainda das medidas correctivas que a situação de degradação do valor das pensões exige, é, no entanto, realizado um avanço assinalável que implica o dispêndio de 0,8 milhões de contos.

5. O sistema de diuturnidades vigente carece de efectiva reformulação após a opção claramente assumida de institucionalizar um sistema de carreiras. Considera-se, no entanto, aconselhável, sob o ponto de vista social, proceder à sua actualização, enquanto verdadeiro prémio de antiguidade que são, sem pôr em causa as medidas de fundo enunciadas, aproximando-as assim o mais possível de outros sistemas vigentes na Administração.

6. Finalmente, no que respeita aos benefícios sociais, procede-se à actualização do subsídio de refeição, de acordo com a orientação consignada no Decreto-Lei 305/77, de 29 de Julho, que consagra o princípio de caber aos utentes dos refeitórios o preço dos géneros incorporados na refeição. Promovem-se ainda alguns ajustamentos nos benefícios da ADSE, tendo em vista um sistema de segurança social integrado, em cumprimento de um imperativo constitucional.

Nestes termos:

O Governo decreta, nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 201.º da Constituição, o seguinte:

Artigo 1.º - 1 - A tabela de vencimentos dos funcionários e agentes da Administração Pública Central e das Administrações Regional e Local e dos institutos públicos que revistam a natureza de serviços personalizados ou fundos públicos passa a ser a seguinte:

(ver documento original) 2 - O disposto no n.º 1 é aplicável, na medida das disponibilidades financeiras, ao pessoal dos Cofres Geral dos Tribunais e dos Conservadores, Notários e Funcionários de Justiça, bem como ao das pessoas colectivas de direito privado e utilidade pública administrativa com fins de saúde e assistência, mediante despacho conjunto do Ministro das Finanças e do Plano, do Ministro competente e do membro do Governo que tiver a seu cargo a função pública.

3 - Os vencimentos dos aprendizes e praticantes que não estejam incluídos nas letras da tabela constante do n.º 1 são fixados nos seguintes termos:

(ver documento original) 4 - O tempo de serviço efectivamente prestado à data da publicação do presente diploma como aprendiz ou praticante será contado para efeitos do disposto no número anterior.

5 - O vencimento dos paquetes é fixado em 5000$00, de Janeiro a Junho de 1979, passando a 5400$00 a partir de Julho de 1979.

6 - Sem prejuízo das remunerações superiores já praticadas, a remuneração mensal dos trabalhadores rurais ao serviço da Administração Pública Central e das Administrações Regional e Local e dos institutos públicos será o salário corrente da região, não podendo em caso algum ser inferior aos salários mínimos estipulados na portaria de regulamentação de trabalho para a agricultura.

Art. 2.º - 1 - Os vencimentos do pessoal dirigente abrangido pela coluna de designações do mapa anexo ao Decreto-Lei 19-F/79, de 26 de Junho, passam a ser, a partir de Julho do corrente ano, os seguintes:

Director-geral, secretário-geral e outros cargos expressamente equiparados a director-geral ... 31000$00 Subdirector-geral e outros cargos expressamente equiparados ... 28800$00 Director de serviços ... 27000$00 Chefe de divisão ... 25300$00 2 - A partir de 1 de Julho do corrente ano são extintas quaisquer gratificações atribuídas a título de exercício efectivo de funções de direcção ou chefia, designadamente as que foram concedidas nos termos da alínea a) do n.º 3 do artigo 1.º do Decreto-Lei 3/79, de 11 de Janeiro.

3 - As equiparações que vierem a ser feitas nos termos do n.º 3 do artigo 1.º do Decreto-Lei 19-F/79, de 26 de Junho, relativamente aos cargos que, pela aplicação do Decreto-Lei 3/79, de 11 de Janeiro, tenham já beneficiado de equiparação, determinam a aplicação da tabela a que se refere o artigo 2.º do presente diploma, a partir de 1 de Julho do corrente ano.

4 - Os cargos que, pela aplicação do Decreto-Lei 3/79, de 11 de Janeiro, tenham já beneficiado de equiparação, mas em que esta não venha a ser confirmada nos termos do n.º 3 do artigo 1.º do Decreto-Lei 19-F/79, de 26 de Junho, passam, sem prejuízo do disposto no número seguinte, a ser remunerados de acordo com as respectivas letras nos termos da tabela constante do n.º 1 do artigo 1.º 5 - A aplicação do disposto neste artigo não poderá implicar diminuição da retribuição global percebida à data da entrada em vigor do presente diploma.

Art. 3.º - 1 - As gratificações que constituem única forma de remuneração do exercício de cargos ou funções serão alteradas a partir de 1 de Janeiro de 1979, de acordo com o disposto nas alíneas seguintes:

a) Se se tratar de trabalho a tempo parcial, a respectiva remuneração será calculada, nos termos do artigo 5.º, tendo por base vencimento da categoria a que correspondam as funções exercidas;

b) Se se tratar de exercício de funções sem sujeição a horário determinado ou de cargo desempenhado a tempo parcial sem correspondência nas categorias existentes na função pública, a alteração das gratificações correspondentes será feita mediante despacho conjunto do Ministro das Finanças e do Plano, do Ministro competente e do membro do Governo que tiver a seu cargo a função pública;

c) Se se tratar da fixação ou alteração das gratificações devidas por funções exercidas em acumulação, designadamente no âmbito de comissões ou grupos de trabalho, será feita mediante despacho conjunto dos membros do Governo referidos na alínea anterior.

2 - As gratificações a que se refere o número anterior só terão de ser actualizadas mediante despacho quando não tenham sido inicialmente fixadas por referência a categorias ou letras de vencimento, caso em que essa actualização decorre do aumento de vencimento da respectiva letra.

3 - A actualização anual de gratificações por despacho não poderá exceder a média ponderada do aumento de vencimentos determinado para a totalidade das categorias profissionais no mesmo período.

4 - Não será considerado acumulação o exercício de funções que não possam ser diferenciadas daquelas que correspondam ao lugar ou cargo pelo qual o funcionário ou agente perceba vencimento.

Art. 4.º - 1 - É proibida a criação, aumento ou extensão de remunerações acessórias, nomeadamente ao pessoal dos serviços e unidades orgânicas que sejam criadas ou integradas, mantendo quadros de pessoal diferenciados e hierarquia própria, em departamentos em cujo âmbito as mesmas venham sendo praticadas.

2 - Em casos devidamente fundamentados, mediante decreto assinado pelos Ministros das Finanças e do Plano, Ministro competente e membro do Governo que tiver a seu cargo a função pública, sob parecer favorável da comissão interministerial para as remunerações acessórias, poderá ser excepcionado o disposto no número anterior.

3 - Para efeitos do disposto no presente decreto-lei, consideram-se acessórias as remunerações que acrescem ao vencimento, com exclusão do abono de família e respectivas prestações complementares, diuturnidades, subsídio de refeição, subsídios de férias e de Natal, remuneração por trabalho extraordinário, nocturno e em dias de descanso, senhas de presença, abonos para falhas, ajudas de custo, subsídio de viagem e de marcha, despesas de representação e quaisquer outras que revistam a natureza de simples compensação ou reembolso de despesas feitas em razão do exercício de funções.

4 - As diuturnidades referidas no número anterior são as contempladas no regime legal geral sobre a matéria, bem como nos regimes legais especiais.

5 - As remunerações acessórias existentes, previstas em lei ou decreto-lei, são referidas ao posto de trabalho, independentemente da pessoa do respectivo titular.

6 - São reduzidas no quantitativo correspondente 30% do aumento referido a Janeiro do corrente ano nos termos do n.º 1 do artigo 1.º, as seguintes remunerações acessórias:

a) Gratificações e subsídios de tecnicidade ou especialização atribuídas pelo exercício de funções que se integram no conteúdo funcional da categoria ou grau de carreira;

b) Compensações pessoais a que se refere o Decreto-Lei 633/70, de 22 de Dezembro;

c) Comparticipação em receitas;

d) Participações emolumentares, com exclusão das que constituem vencimento de exercício por disposição legal expressa, designadamente o § 2.º do artigo 529.º do Decreto-Lei 31095, de 31 de Dezembro de 1940, e o artigo 84.º do Decreto-Lei 450/78, de 30 de Dezembro;

e) Emolumentos pessoais, com excepção dos que constituem única forma de remuneração dos serviços prestados ao público por determinado funcionário a favor do qual revertem.

7 - A redução prevista no número anterior é igualmente aplicável a todas as remunerações acessórias não previstas em lei ou decreto-lei, independentemente das formas que revistam e dos motivos que determinaram a sua concessão ou das rubricas orçamentais por onde são processadas.

8 - Para todos os efeitos legais as participações emolumentares ou quaisquer outras remunerações percentuais não poderão ultrapassar a média dos valores percebidos no ano findo.

9 - O disposto nos n.os 6 e 8 não se aplica às remunerações acessórias que tenham sido criadas ou actualizadas por diploma legal após a publicação do Decreto-Lei 106/78, de 24 de Maio.

10 - As contravenções ao disposto neste artigo obrigam à reposição das quantias indevidamente recebidas.

Art. 5.º - 1 - Para todos os efeitos legais, o valor da hora de trabalho é calculado na base da fórmula (V x 12)/(52 x n), sendo V a remuneração mensal e n o número de horas correspondentes ao horário normal semanal.

2 - A fórmula referida no número anterior servirá de base de cálculo da remuneração correspondente a qualquer outra fracção de tempo de trabalho.

Art. 6.º - O abono para falhas será uniformizado, tendo em conta os valores movimentados, mediante portaria do Ministério das Finanças e do Plano e do membro do Governo que tiver a seu cargo a função pública, a aprovar até ao fim do 1.º semestre de 1980.

Art. 7.º - 1 - Aos funcionários e agentes que aufiram vencimento segundo a tabela prevista no n.º 1 do artigo 1.º é proibido o exercício cumulativo do seu cargo ou função com o de membro de conselho de gerência, de administração ou comissão administrativa, consoante os casos, de empresas públicas, nacionalizadas, intervencionadas e de economia mista.

2 - O direito dos funcionários e agentes às remunerações como membros das comissões de fiscalização ou conselhos fiscais das empresas citadas no número anterior não é prejudicado pelas remunerações que os referidos membros aufiram em razão de emprego normal ou outra actividade legalmente cumulável, salvo as disposições legais que fixam o limite do salário máximo nacional.

3 - As situações dos funcionários e agentes abrangidos pelo disposto nos números anteriores deverão ser regularizadas no prazo de noventa dias a partir da entrada em vigor deste diploma.

Art. 8.º - 1 - São extintas as remunerações devidas por inerência, salvo nos casos em que das funções eventualmente acumuladas resulte acréscimo significativo de trabalho ou de responsabilidade.

2 - Enquanto as situações referidas na parte final do número anterior não forem objecto de adequada qualificação no âmbito dos diplomas legais que as instituíram, a apreciação das mesmas deverá ser feita por despacho conjunto do Ministro das Finanças e do Plano, do Ministro competente e do membro do Governo que tiver a seu cargo a função pública, no qual igualmente se fixará a correspondente gratificação.

Art. 9.º - 1 - Aos membros das comissões instaladoras de quaisquer organismos ou serviços públicos, em exclusividade de funções e em regime de tempo integral, a partir de Julho do corrente ano não poderão ser abonadas remunerações mensais superiores:

a) Ao vencimento de director-geral, para o presidente;

b) Ao vencimento de subdirector-geral, para os restantes membros.

2 - Aos membros das comissões a que se refere o número anterior que exerçam as respectivas funções em regime de acumulação aplicar-se-á o disposto no artigo 3.º deste diploma.

Art. 10.º - 1 - A partir de 1 de Outubro do corrente ano o valor das diuturnidades fixado no Decreto-Lei 330/76, de 7 de Maio, será de 750$00 por cada cinco anos de serviço, sem prejuízo dos quantitativos fixados em lei especial.

2 - O disposto no número anterior não se aplica às pensões definitivas e às pensões transitórias calculadas com referência a data anterior a 1 de Outubro de 1979.

3 - O regime previsto no artigo 2.º do Decreto-Lei 341/77, de 19 de Agosto, aplica-se às pensões de preço de sangue e outras a cargo do Ministério das Finanças e do Plano, com excepção das resultantes de condecorações e das Leis n.os 1942, de 27 de Julho de 1936, e 2127, de 3 de Agosto de 1965, com efeitos a partir do dia 1 do mês seguinte à data da entrada em vigor do presente diploma, de forma a fazer intervir no seu cálculo o correspondente às diuturnidades respeitantes aos anos de serviço efectivamente prestados.

Art. 11.º - 1 - As pensões mensais de aposentação, de reforma e de invalidez beneficiam das seguintes alterações:

a) Pensões até 6000$00: são aumentadas de 1500$00;

b) Pensões de 6001$00 a 15000$00: são aumentadas de 1200$00 ou do necessário para atingirem o mínimo de 7500$00;

c) Pensões acima de 15000$00: são aumentadas de 1000$00 ou do necessário para atingirem o mínimo de 16200$00.

2 - As pensões de sobrevivência, incluindo as atribuídas pelo Decreto 52/75, de 8 de Fevereiro, e Decreto-Lei 24/046, de 21 de Junho de 1954, e legislação complementar, beneficiam das seguintes alterações:

a) Pensões até 3000$00: são aumentadas de 750$00;

b) Pensões de 3001$00 a 7500$00: são aumentadas de 600$00 ou do necessário para atingirem o mínimo de 3750$00;

c) Pensões acima de 7500$00: são aumentadas de 500$00 ou do necessário para atingirem o mínimo de 8100$00.

3 - As pensões de preço de sangue e outras a cargo do Ministério das Finanças e do Plano, com excepção das resultantes de condecorações e das Leis n.os 1942, de 27 de Julho de 1936, e 2127, de 3 de Agosto de 1965, beneficiam das seguintes alterações:

a) Pensões até 4200$00: são aumentadas de 1050$00;

b) Pensões de 4201$00 a 10500$00: são aumentadas de 840$00 ou do necessário para atingirem o mínimo de 5250$00;

c) Pensões acima de 10500$00: são aumentadas de 700$00 ou do necessário para atingirem o mínimo de 11340$00.

4 - A actualização estabelecida neste artigo produz efeitos a partir de 1 de Julho de 1979 e aplica-se às pensões calculadas com base em remunerações fixadas antes da data da entrada em vigor da tabela de vencimentos prevista no n.º 1 do artigo 1.º do presente diploma, reportada a 1 de Julho de 1979, ou de outra tabela de vencimentos que venha a ser fixada em diploma com a mesma finalidade.

5 - As pensões alteradas em conformidade com o disposto nos n.os 1, 2 e 3 não poderão exceder as que seriam calculadas com base nas remunerações que hão-de vigorar a partir de 1 de Julho de 1979 ou nas que constem de tabelas aprovadas por disposição legal posterior.

6 - As pensões pagas através da Caixa Geral de Aposentações, do Montepio dos Servidores do Estado e de outras entidades públicas, em cujo encargo o Estado não comparticipe, poderão ser actualizadas, nos termos dos números anteriores, mediante decisão das entidades competentes.

7 - Ficam os serviços processadores autorizados a realizar as horas extraordinárias consideradas indispensáveis para a execução do disposto no presente artigo.

Art. 12.º - 1 - Os funcionários providos nos cargos de chefe de repartição ou equiparado ficam isentos de horário de trabalho, não lhes sendo por isso devida qualquer remuneração por trabalho prestado fora do horário normal.

2 - O remanescente, resultante da aplicação do disposto no n.º 4 do artigo 4.º do Decreto-Lei 106/78, de 24 de Maio, será absorvido até aos quantitativos correspondentes a cada um dos aumentos determinados pelo n.º 1 do artigo 1.º do presente diploma.

Art. 13.º A partir de 1 de Julho do corrente ano o subsídio de refeição fixado no n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei 305/77, de 29 de Julho, passa a ser de 850$00 mensais.

Art. 14.º A partir de 1 de Julho do corrente ano são alargados os benefícios da ADSE:

a) Aos descendentes ou equiparados a quem, nos termos legais, seja atribuído o abono de família;

b) Aos ascendentes a cargo do funcionário ou agente.

Art. 15.º Por decreto regulamentar, a publicar dentro de cento e oitenta dias, serão regulados, em novos termos, a atribuição e o processamento dos subsídios de férias e de Natal aos funcionários e agentes que aos mesmos tenham direito.

Art. 16.º Passa a ser de 60% da remuneração principal o limite da remuneração por trabalho extraordinário fixado no n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei 793/74, de 31 de Dezembro, com a redacção que lhe foi dada pelo Decreto-Lei 305/75, de 21 de Junho.

Art. 17.º É abolida a gratificação pelo exercício de funções de encarregado de pessoal auxiliar.

Art. 18.º Os abonos correspondentes aos efeitos retroactivos do presente diploma serão pagos mediante regras a estabelecer por despacho do Ministro das Finanças e do Plano.

Art. 19.º - 1 - Enquanto não se proceder às alterações orçamentais que se mostrem indispensáveis para a execução do presente diploma, os encargos dele resultantes poderão ser satisfeitos, no corrente ano, por conta das dotações orçamentais para pagamento dos respectivos vencimentos.

2 - Os orçamentos suplementares, eventualmente elaborados para este efeito, não contarão para o limite estabelecido no artigo 8.º do Decreto-Lei 264/78, de 30 de Agosto.

Art. 20.º O presente diploma prevalece sobre todas e quaisquer disposições especiais ou regulamentares em contrário.

Art. 21.º É revogado o Decreto-Lei 3/79, de 11 de Janeiro.

Art. 22.º As dúvidas resultantes da aplicação do presente diploma serão resolvidas por despacho conjunto do Ministro das Finanças e do Plano e do membro do Governo que tiver a seu cargo a função pública, sob parecer das Direcções-Gerais da Função Pública e da Contabilidade Pública.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 12 de Junho de 1979. - Carlos Alberto da Mota Pinto - Manuel Jacinto Nunes - António Gonçalves Ribeiro - António Jorge de Figueiredo Lopes.

Promulgado em 2 de Julho de 1979.

Publique-se.

O Presidente da República, ANTÓNIO RAMALHO EANES.

Anexos

  • Texto integral do documento: https://dre.tretas.org/pdfs/1979/07/03/plain-82181.pdf ;
  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/82181.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1940-12-31 - Decreto-Lei 31095 - Ministério do Interior - Direcção Geral de Administração Política e Civil

    Aprova o Código Administrativo e o Estatuto dos Distritos Autónomos das Ilhas Adjacentes, que são publicados em anexo. São aprovados os novos quadros e vencimentos do pessoal vitalício e contratado das juntas gerais dos Distritos Autónomos das Ilhas Adjacentes constantes no mapa II anexo ao presente diploma.

  • Tem documento Em vigor 1970-12-22 - Decreto-Lei 633/70 - Ministério dos Negócios Estrangeiros - Direcção-Geral dos Serviços Centrais

    Dá nova redacção aos n.os 1.º e 2.º do artigo 1.º e aos artigos 3.º e 7.º a 13.º da tabela de emolumentos consulares, aprovada pelo Decreto-Lei n.º 46641 - Revoga o disposto no artigo 22.º da referida tabela e os artigos 3.º, 4.º e 5.º do Decreto-Lei n.º 47010.

  • Tem documento Em vigor 1974-12-31 - Decreto-Lei 793/74 - Presidência do Conselho de Ministros

    Estabelece as condições a que deve obedecer o abono de remunerações por trabalho extraordinário a várias categorias de funcionários que prestem serviço nos Gabinetes dos membros do Governo.

  • Tem documento Em vigor 1975-02-08 - Decreto 52/75 - Ministério da Coordenação Interterritorial - Gabinete do Ministro

    Harmoniza, em determinados aspectos, os regimes da aposentação e da pensão de sobrevivência dos servidores civis do Estado em serviço nos territórios ultramarinos com os vigentes no continente e ilhas.

  • Tem documento Em vigor 1975-06-21 - Decreto-Lei 305/75 - Ministério da Administração Interna

    Fixa os limites das remunerações por trabalho extraordinário que podem ser atribuídas, em cada mês, a várias categorias de funcionários que prestem serviço nos gabinetes dos membros do Governo.

  • Tem documento Em vigor 1976-05-07 - Decreto-Lei 330/76 - Ministérios da Administração Interna e das Finanças

    Estabelece a concessão de diuturnidades aos trabalhadores da função pública.

  • Tem documento Em vigor 1977-07-29 - Decreto-Lei 305/77 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministério das Finanças

    Fixa o subsídio de refeição a atribuir a todos os trabalhadores da função pública.

  • Tem documento Em vigor 1977-08-19 - Decreto-Lei 341/77 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios da Defesa Nacional, da Administração Interna e das Finanças

    Actualiza as pensões de aposentação e reforma pela Caixa Geral de Aposentações.

  • Tem documento Em vigor 1978-05-24 - Decreto-Lei 106/78 - Ministérios das Finanças e do Plano, da Administração Interna e da Reforma Administrativa

    Fixa a tabela de vencimentos do funcionalismo público.

  • Tem documento Em vigor 1978-08-30 - Decreto-Lei 264/78 - Ministério das Finanças e do Plano - Secretaria de Estado do Orçamento - Direcção-Geral da Contabilidade Pública

    Estabelece o regime geral da actividade financeira dos fundos autónomos e dos organismos dotados de autonomia administrativa e financeira.

  • Tem documento Em vigor 1978-12-30 - Decreto-Lei 450/78 - Ministério da Justiça

    Reestrutura as secretarias judiciais e as carreiras dos funcionários de justiça.

  • Tem documento Em vigor 1979-01-11 - Decreto-Lei 3/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministério das Finanças e do Plano

    Fixa a atribuição de gratificações de chefia a diversos cargos dirigentes da Administração.

  • Tem documento Em vigor 1979-06-26 - Decreto-Lei 191-F/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano e da Administração Interna

    Estabelece o regime jurídico e condições de exercício das funções de direcção e chefia.

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1979-07-10 - Declaração - Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral

    De ter sido rectificado o Decreto-Lei n.º 204-A/79, publicado no suplemento ao Diário da República, 1.ª série, n.º 151, de 3 de Julho de 1979

  • Tem documento Em vigor 1979-07-10 - DECLARAÇÃO DD7285 - PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

    Declara ter sido rectificado o Decreto-Lei n.º 204-A/79, de 3 de Julho, que aprova a tabela de vencimentos da função pública, bem como os valores dos demais benefícios e remunerações.

  • Tem documento Em vigor 1979-07-26 - Despacho Normativo 176-B/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministério das Finanças e do Plano

    Esclarece dúvidas sobre a conclusão de processos de equiparação iniciados na vigência do Decreto-Lei n.º 3/79, de 11 de Janeiro. (Fixa a atribuição de gratificações de chefia a diversos cargos dirigentes da Administração Pública).

  • Tem documento Em vigor 1979-08-22 - Portaria 447/79 - Ministério das Finanças e do Plano - Secretaria de Estado das Finanças - Assistência na Doença aos Servidores Civis do Estado

    Aprova o novo impresso modelo D-2/INSC, destinado à inscrição de ascendentes na Assistência na Doença aos Servidores Civis do Estado (ADSE).

  • Tem documento Em vigor 1979-08-30 - Decreto-Lei 352/79 - Ministério da Educação e Investigação Científica

    Fixa a remuneração por trabalho extraordinário dos docentes do Conservatório Nacional e do Conservatório de Música do Porto.

  • Tem documento Em vigor 1979-09-04 - Decreto-Lei 366/79 - Ministério da Administração Interna

    Suspende a aplicação dos artigos 2.º e 21.º, ambos do Decreto-Lei n.º 204-A/79, de 3 de Julho, à Administração Local enquanto não for dado cumprimento ao disposto no n.º 5 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 191-F/79, de 26 de Junho.

  • Tem documento Em vigor 1979-09-08 - Decreto-Lei 373/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios da Administração Interna, das Finanças, da Coordenação Social e dos Assuntos Sociais

    Aprova o Estatuto do Médico aplicável a todos os médicos dos serviços públicos. Este estatuto dispõe sobre: direitos e deveres, regime de trabalho, remunerações e segurança social dos médicos, inserindo também disposições gerais e finais sobre a matéria.

  • Tem documento Em vigor 1979-09-18 - Decreto-Lei 382/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministério das Finanças e do Plano

    Estabelece uma tabela autónoma de vencimento para o pessoal das Casas Civil e Militar do Presidente da República, do gabinete do presidente da república e dos gabinetes dos membros do Governo incluindo os Gabinetes dos Ministros da República para os Açores e para a Madeira.

  • Tem documento Em vigor 1979-10-13 - Portaria 540/79 - Ministério dos Transportes e Comunicações

    Actualiza os subsídios vitalícios e de sobrevivência de funcionários e agentes da Administração-Geral do Porto de Lisboa.

  • Tem documento Em vigor 1979-10-24 - Portaria 561/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças, dos Assuntos Sociais e do Trabalho

    Aprova as retribuições mensais do pessoal abrangido pela Portaria n.º 193/79, de 21 de Abril (actualização dos vencimentos do pessoal da Previdência).

  • Tem documento Em vigor 1979-10-30 - Decreto Regional 25/79/M - Região Autónoma da Madeira

    Adapta o Decreto Lei que define o regime jurídico e condições do exercício das funções de direcção e chefia à Região Autónoma da madeira.

  • Tem documento Em vigor 1979-11-17 - Decreto-Lei 452/79 - Ministérios da Administração Interna, da Justiça e das Finanças

    Aplica ao motorista afecto ao serviço do Presidente do Supremo Tribunal de Justiça o regime previsto no Decreto-Lei n.º 793/74, de 31 de Dezembro.

  • Tem documento Em vigor 1979-11-21 - Despacho Normativo 336/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e dos Assuntos Sociais

    Determina que seja extensiva às pessoas colectivas de utilidade pública administrativa com fins de saúde e assistência a aplicação da tabela de vencimentos aprovada pelo n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei n.º 204-A/79, de 3 de Julho.

  • Tem documento Em vigor 1979-11-21 - Decreto-Lei 454/79 - Conselho da Revolução

    Aplica ao pessoal civil dos estabelecimentos fabris das forças armadas e da antiga Fábrica Militar de Pólvoras e Explosivos o disposto nos n.os 1 e 2 do artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 204-A/79, de 3 de Junho.

  • Tem documento Em vigor 1979-12-18 - Resolução 354-B/79 - Presidência do Conselho de Ministros - Gabinete do Primeiro-Ministro

    Estabelece requisitos sobre a aplicação do disposto no Decreto-Lei n.º 191-F/79, de 26 de Junho, a outros cargos.

  • Tem documento Em vigor 1979-12-28 - Decreto-Lei 519-B/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministério das Finanças

    Determina que as pensões definitivas ou transitórias de aposentação calculadas antes de 1 de Outubro de 1979 sejam corrigidas fazendo intervir o aumento de 250$00 fixado para as diuturnidades pelo diploma que aprova a tabela do vencimento da Função Pública.

  • Tem documento Em vigor 1979-12-31 - Despacho Normativo 381/79 - Ministério das Finanças - Gabinete de Estudos e Planeamento

    Esclarece dúvidas sobre a aplicação do Decreto-Lei n.º 3/79, de 11 de Janeiro, e do Decreto-Lei n.º 191-F/79, de 26 de Junho.

  • Tem documento Em vigor 1979-12-31 - Decreto-Lei 536/79 - Ministério da Educação

    Dispõe sobre a orgânica administrativa das Universidades de Coimbra, Lisboa, Porto e Técnica de Lisboa e aumenta os quadros do pessoal.

  • Tem documento Em vigor 1979-12-31 - Decreto-Lei 534/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e da Educação

    Cria no Ministério da Educação a Direcção-Geral da Educação de Adultos (DGEA), que sucede à Direcção-Geral da Educação Permanente, e define as suas atribuições, órgãos, serviços e respectivas competências, bem como o regime do respectivo pessoal.

  • Tem documento Em vigor 1979-12-31 - Portaria 753/79 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Comércio e Turismo

    Determina que o chefe de secretaria da Comissão Regional de Turismo da Serra da Arrábida passe a ser remunerado pelo vencimento correspondente à letra I.

  • Tem documento Em vigor 1980-03-14 - Decreto-Lei 38/80 - Ministérios da Administração Interna e das Finanças e do Plano

    Fixa os vencimentos dos governadores e vice-governadores civis.

  • Tem documento Em vigor 1980-04-15 - Decreto-Lei 71/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministério da Justiça

    Introduz alterações ao Decreto-Lei n.º 519-F2/79, de 29 de Dezembro (Lei Orgânica dos Serviços dos Registos e do Notariado).

  • Tem documento Em vigor 1980-04-29 - Decreto Regional 6/80/M - Região Autónoma da Madeira - Assembleia Regional

    Estabelece disposições relativas à equiparação dos cargos dirigentes da Administração Regional Autónoma aos cargos paralelos da Administração Central

  • Tem documento Em vigor 1980-05-05 - Decreto Regulamentar 10-A/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios da Justiça e das Finanças e do Plano

    Atribui um subsídio de risco aos agentes da Polícia Judiciária.

  • Tem documento Em vigor 1980-05-12 - Decreto-Lei 113/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano e da Habitação e Obras Públicas

    Introduz alterações à Lei Orgânica e ao quadro da Direcção-Geral dos Recursos e Aproveitamentos Hidráulicos.

  • Tem documento Em vigor 1980-06-06 - Portaria 318-A/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano e dos Assuntos Sociais

    Regula o regime de tempo prolongado e da situação de dedicação exclusiva dos médicos.

  • Tem documento Em vigor 1980-06-24 - Decreto-Lei 200-A/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano e da Administração Interna

    Fixa a nova tabela de vencimentos dos funcionários e agentes da Administração Pública Central, Regional e Local e dos institutos públicos que revistam a natureza de serviços personalizados ou fundos públicos.

  • Tem documento Em vigor 1980-07-10 - Decreto-Lei 218/80 - Ministério dos Transportes e Comunicações - Secretaria de Estado dos Transportes

    Cria um Quadro de Pessoal no Fundo Especial de Transportes Terrestres.

  • Tem documento Em vigor 1980-07-23 - Resolução 262/80 - Presidência do Conselho de Ministros - Gabinete do Primeiro-Ministro

    Estabelece normas relativas à actualização das pensões de aposentação do pessoal dos CTT.

  • Tem documento Em vigor 1980-08-01 - Decreto 61/80 - Ministério da Administração Interna

    Atribui um suplemento por serviço de prevenção e vigilância aos Batalhões de Sapadores Bombeiros de Lisboa e do Porto.

  • Tem documento Em vigor 1980-08-11 - Despacho Normativo 237/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano e dos Assuntos Sociais - Secretarias de Estado da Reforma Administrativa, do Orçamento e da Segurança Social

    Define, para efeitos de inscrição na ADSE, ascendentes do funcionário ou agente.

  • Tem documento Em vigor 1980-10-03 - Decreto-Lei 437/80 - Ministério da Administração Interna

    Introduz alterações ao Decreto-Lei n.º 613/71, de 31 de Dezembro (Estatuto da Empresa Pública de Urbanização de Lisboa).

  • Tem documento Em vigor 1980-10-20 - Decreto-Lei 496/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministério das Finanças e do Plano

    Regula de forma sistemática a atribuição dos subsídios de férias e de Natal ao funcionalismo público.

  • Tem documento Em vigor 1980-10-21 - Decreto-Lei 506/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministério da Justiça

    Reestrutura a Direcção-Geral dos Serviços Tutelares de Menores

  • Tem documento Em vigor 1980-11-28 - Decreto Regulamentar 74/80 - Ministério dos Negócios Estrangeiros - Secretaria de Estado da Emigração e Comunidades Portuguesas

    Estabelece normas com vista à boa execução de funções de apoio jurídico aos emigrantes e seus familiares.

  • Tem documento Em vigor 1980-12-09 - Portaria 1033/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano e da Educação e Ciência

    Equipara o cargo de administrador das novas Universidades ao de subdirector-geral.

  • Tem documento Em vigor 1980-12-26 - Decreto-Lei 572-E/80 - Ministérios da Habitação e Obras Públicas e dos Transportes e Comunicações

    Altera o quadro do pessoal do Conselho Superior de Obras Públicas e Transportes (CSOPT).

  • Tem documento Em vigor 1981-01-05 - Portaria 9/81 - Ministério dos Transportes e Comunicações

    Actualiza os subsídios vitalícios e de sobrevivência concedidos aos funcionários e agentes da Administração-Geral do Porto de Lisboa e da Administração dos Portos do Douro e Leixões.

  • Tem documento Em vigor 1981-01-15 - Decreto Regulamentar 3/81 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano e dos Assuntos Sociais

    Cria o Centro Regional de Segurança Social de Lisboa.

  • Tem documento Em vigor 1981-01-15 - Decreto Regulamentar 2/81 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano e dos Assuntos Sociais

    Cria o Centro Nacional de Pensões (CNP).

  • Tem documento Em vigor 1981-06-16 - Despacho Normativo 158/81 - Ministérios das Finanças e do Plano, dos Assuntos Sociais e da Reforma Administrativa

    Autoriza o aumento das gratificações dos agentes de fiscalização do Fundo de Socorro Social.

  • Tem documento Em vigor 1981-06-17 - Portaria 494/81 - Ministério dos Assuntos Sociais - Santa Casa da Misericórdia de Lisboa

    Altera o quadro de pessoal da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

  • Tem documento Em vigor 1981-08-19 - Decreto Regulamentar 37/81 - Ministério do Trabalho

    Atribui uma gratificação mensal pelo exercício de funções de inspecção ao pessoal dirigente e ao pessoal técnico de inspecção da Inspecção do Trabalho.

  • Tem documento Em vigor 1981-10-16 - Decreto Regulamentar 50/81 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano, dos Transportes e Comunicações e da Reforma Administrativa

    Institui um subsídio para a prestação de serviço aéreo ao pessoal da Direcção-Geral da Aviação Civil.

  • Tem documento Em vigor 1983-05-07 - Decreto Regulamentar 38/83 - Ministérios das Finanças e do Plano, dos Assuntos Sociais e da Reforma Administrativa

    Aprova o quadro de pessoal não dirigente da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa.

  • Tem documento Em vigor 1983-06-23 - Decreto Regulamentar 54/83 - Ministérios das Finanças e do Plano, dos Assuntos Sociais e da Reforma Administrativa

    Regulamenta o exercício das funções cometidas ao serviço de fiscalização dos centros regionais de segurança social.

  • Tem documento Em vigor 1985-04-02 - Decreto-Lei 94/85 - Ministério do Mar

    Actualiza o abono para falhas dos tesoureiros da Administração dos Portos do Douro e Leixões.

  • Tem documento Em vigor 1985-11-04 - Decreto-Lei 461/85 - Ministério da Educação

    Atribui abono para falhas aos tesoureiros dos serviços sociais dos estabelecimentos de ensino superior, do Instituto de Investigação Científica Tropical, do Instituto Nacional de Investigação Científica e dos organismos dependentes da Direcção-Geral do Ensino Superior.

  • Tem documento Em vigor 2018-05-08 - Decreto-Lei 32/2018 - Presidência do Conselho de Ministros

    Determina a cessação de vigência de decretos-leis publicados entre os anos de 1975 e 1980

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda