Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Portaria 642/81, de 24 de Julho

Partilhar:

Sumário

Define os tipos de bacalhau salgado seco.

Texto do documento

Portaria 642/81

de 24 de Julho

A presente portaria visa introduzir modificações ao regime de comercialização do bacalhau e espécies afins, adaptando-o às reais condições do mercado.

Nestes termos:

Ao abrigo do disposto no n.º 2 do artigo 2.º do Decreto-Lei 45835, de 27 de Julho de 1964, e no artigo 1.º do Decreto-Lei 75-Q/77, de 28 de Fevereiro:

Manda o Governo da República Portuguesa, pelos Secretários de Estado das Pescas e do Comércio, o seguinte:

1.º Os tipos comerciais de bacalhau salgado seco são unicamente os seguintes:

a) Especial - peixes com mais de 3 kg;

b) Graúdo - peixes de 2 kg a 3 kg;

c) Crescido - peixes de 1 kg a 2 kg;

d) Corrente - peixes de 0,5 kg a 1 kg;

e) Miúdo - peixes até 0,5 kg;

f) Sortido grande - peixes partidos, amputados ou com ligeiros defeitos de preparação ou conservação e com peso superior a 1 kg;

g) Sortido pequeno - igual à alínea f), para peixes com peso inferior a 1 kg.

2.º Os tipos comerciais das espécies afins do bacalhau, subdivididos em três grupos:

1) Lingue, zarbo ou alecrim;

2) Escamudo ou abrótea;

3) Outras espécies a definir, caso a caso, pela Comissão Reguladora do Comércio de Bacalhau;

são unicamente os seguintes:

a) Grande - peixes com mais de 2 kg;

b) Médio - peixes de 1 kg a 2 kg;

c) Pequeno - peixes de 0,5 kg a 1 kg;

d) Sortido - peixes até 0,5 kg e peixes partidos, amputados ou com ligeiros defeitos de preparação ou conservação.

3.º O Secretário de Estado do Comércio poderá autorizar, por despacho normativo, sob proposta da Comissão Reguladora do Comércio de Bacalhau, a apresentação, no comércio, de tipos comerciais diferentes dos referidos nos números anteriores para bacalhau salgado seco ou espécies afins, fraccionados.

4.º - 1 - O bacalhau salgado seco e as espécies afins só podem ser vendidos pelos produtores, pela Comissão Reguladora do Comércio de Bacalhau e pelos armazenistas, quando devidamente embalados, nos termos seguintes:

a) Grupo I - Embalagens de peixes inteiros:

Sacos de juta ou polipropileno de 60 kg;

Caixas de cartão de 25 kg;

b) Grupo II - Embalagens que contenham:

Um peixe inteiro ou meio peixe cortado longitudinalmente;

Postas provenientes de um único peixe ou meio peixe, que, uma vez juntas, permitam reconstituir o peixe inteiro ou meio peixe cortado longitudinalmente.

2 - É proibida, por qualquer dos agentes económicos que intervenham no circuito de comercialização, a alteração, divisão ou fraccionamento das embalagens referidas na alínea b) do n.º 1, bem como de todas as outras embalagens que venham a ser autorizadas nos termos do disposto no n.º 4 deste número.

3 - As embalagens a que se refere a alínea b) do n.º 1 devem ser previamente aprovadas pela Comissão Reguladora do Comércio de Bacalhau.

4 - A Comissão Reguladora do Comércio de Bacalhau poderá autorizar, mediante aprovação prévia, a apresentação, no comércio, de embalagens com composição diferente das referidas na alínea b) do n.º 1.

5.º A Comissão Reguladora do Comércio de Bacalhau expedirá as instruções necessárias à execução do disposto nos números anteriores.

6.º O bacalhau salgado seco e as espécies afins, nacionais ou importados, ficam sujeitos ao regime de margens de comercialização fixado e a que se refere a alínea e) do n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei 329-A/74, de 10 de Julho.

7.º As margens máximas de comercialização do bacalhau salgado seco e espécies afins, nacionais ou importados, a que se refere o número anterior são as seguintes:

a) No armazenista: margem de 8%, calculada sobre o preço de aquisição no armazém do produtor;

b) Retalhista: margem de 13%, calculada sobre o preço de aquisição à porta do retalhista.

8.º - 1 - Para efeitos da presente portaria, considera-se a Comissão Reguladora do Comércio de Bacalhau equiparada ao produtor.

2 - A margem do armazenista engloba as despesas de transporte e distribuição, bem como todos os demais encargos inerentes à respectiva comercialização.

9.º Qualquer que seja o número de agentes intervenientes no circuito de comercialização, não é permitida a utilização de margens que, no seu conjunto, ultrapassem os limites fixados no n.º 7.º 10.º Os preços de venda ao público de todos os tipos comerciais de bacalhau salgado seco e espécies afins poderão ser agravados, sempre que os produtos sejam embalados, nos termos da alínea b) do n.º 1 do do n.º 4.º, com as despesas efectivamente realizadas com as operações de embalagem e corte até ao máximo de 5$00 para a operação de embalagem e 6$00 para a operação de corte, por quilograma.

11.º - 1 - Os vendedores por grosso são obrigados, no momento da entrega do produto, a fornecer aos compradores documentos de venda dos quais constem os seguintes elementos:

a) Nome, sede ou domicílio do vendedor e do comprador;

b) Quantidade e tipo comercial do produto transaccionado;

c) Preço de venda no local da entrega, discriminando-se os valores correspondentes às operações de embalagem e corte, quando a elas haja lugar.

2 - Os compradores por grosso são obrigados a exibir, quando solicitados pelas entidades competentes, os documentos a que se refere o n.º 1.

3 - A não apresentação pelo comprador do documento de venda, designadamente por não lhe ter sido passado pelo vendedor ou por se ter extraviado, não constitui, para aquele, circunstância dirimente da sua responsabilidade criminal.

4 - Consideram-se inexistentes os documentos de venda que não contenham os elementos referidos no n.º 1.

12.º - 1 - A apresentação ou venda de bacalhau salgado seco ou espécies afins de tipos diversos dos estabelecidos nos números 1.º e 2.º, bem como as infracções ao disposto nos n.os 1 e 3 do n.º 4.º, quando não constituam a prática do crime de especulação, serão puníveis nos termos do artigo 29.º do Decreto-Lei 41204, de 24 de Julho de 1957;

2 - A infracção ao disposto no n.º 4 do n.º 4.º e no n.º 11.º constitui contravenção punível com multa de 10000$00, se outra punição mais grave lhe não couber nos termos da legislação em vigor.

13.º O disposto no presente diploma aplica-se apenas ao território do continente.

14.º Ficam revogadas as Portarias n.os 2790, 144-D/75, 599/76 e 1020/80, respectivamente de 22 de Julho de 1967, de 3 de Março, de 12 de Outubro e de 28 de Novembro.

15.º As dúvidas resultantes da aplicação da presente portaria serão resolvidas por despacho conjunto dos Secretários de Estado das Pescas e do Comércio.

16.º Esta portaria entra em vigor no dia imediato ao da sua publicação.

Secretarias de Estado das Pescas e do Comércio, 2 de Julho de 1981. - O Secretário de Estado das Pescas, José Carlos Gonçalves Viana. - O Secretário de Estado do Comércio, Walter Waldemar Pego Marques.

Anexos

  • Texto integral do documento: https://dre.tretas.org/pdfs/1981/07/24/plain-33219.pdf ;
  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/33219.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1957-07-24 - Decreto-Lei 41204 - Ministérios do Interior, da Justiça, da Economia e das Corporações e Previdência Social

    Insere disposições relativas às infracções contra a saúde pública e contra a economia nacional.

  • Tem documento Em vigor 1964-07-27 - Decreto-Lei 45835 - Ministério da Economia - Gabinete do Ministro

    Atribui ao Conselho de Ministros para os Assuntos Económicos, sob proposta do Ministro da Economia, a definição das princípios a que devem obedecer a organização e o funcionamento dos mercados e dos circuitos de comercialização e a política dos preços.

  • Tem documento Em vigor 1974-07-10 - Decreto-Lei 329-A/74 - Ministério da Coordenação Económica

    Estabelece os regimes a que podem ser submetidos os preços dos bens ou serviços vendidos no mercado interno, designadamente: preços máximos, preços controlados, preços contratados, margens de comercialização fixadas e preços livres.

  • Tem documento Em vigor 1977-02-28 - Decreto-Lei 75-Q/77 - Ministério do Comércio e Turismo

    Modifica o regime de preços em vigor e assegura o contrôle dos preços dos bens de maior peso nas despesas familiares, mantendo o regime de preços máximos aplicado a significativo número de bens comerciais, entre os quais os produtos incluídos no «cabaz de compras». Revoga o regime de preços controlados e redefine o regime de preços declarados, constante do Dec Lei 329-A/74, de 10 de Julho.

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1982-12-18 - Portaria 1167/82 - Ministério da Agricultura, Comércio e Pescas - Secretaria de Estado do Comércio

    Altera a Portaria n.º 642/81, de 24 de Julho, que define os tipos de bacalhau salgado seco.

  • Tem documento Em vigor 1984-07-14 - Portaria 461/84 - Ministérios do Comércio e Turismo e do Mar - Secretarias de Estado do Comércio Interno e das Pescas

    Fixa as margens de comercialização do bacalhau salgado seco e espécies afins, nacionais ou importadas.

  • Tem documento Em vigor 1985-10-26 - Portaria 811/85 - Ministérios do Comércio e Turismo e do Mar - Secretarias de Estado do Comércio Interno e das Pescas

    Dá nova redacção à alínea a) do n.º 1 do n.º 4.º da Portaria que define os tipos de bacalhau salgado seco.

  • Tem documento Em vigor 1987-04-29 - Portaria 355/87 - Ministérios da Agricultura, Pescas e Alimentação e da Indústria e Comércio

    Introduz modificações ao regime de comercialização do bacalhau e espécies afins, permitindo a sua venda pré-embalada em partes seleccionadas, quando salgado, seco ou salgado seco.

  • Tem documento Em vigor 1989-11-16 - Portaria 995/89 - Ministério do Comércio e Turismo

    Sujeita ao regime de preços vigiados o bacalhau seco, salgado verde e espécies afins pré-embalados e a pescada congelada vendida em embalagens comerciais.

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda