Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Decreto-lei 110/84, de 3 de Abril

Partilhar:

Sumário

Isenta de imposto de mais-valias os ganhos realizados através do aumento de capital das sociedades por quotas e das sociedades anónimas cujas acções preencham as condições exigidas para a sua admissão na bolsa.

Texto do documento

Decreto-Lei 110/84

de 3 de Abril

Através da publicação de vários diplomas legais tem vindo o Governo a permitir a reavaliação dos bens do activo imobilizado das empresas com vista à actualização dos balanços, de modo que a sua estrutura patrimonial revele uma expressão mais próxima da realidade, ao mesmo tempo que vem concedendo os mais diversos benefícios fiscais, nomeadamente a isenção do imposto de mais-valias devido pela incorporação no capital social das reservas resultantes daquela operação.

No último daqueles diplomas - o Decreto-Lei 219/82, de 2 de Junho - foi novamente concedida autorização às empresas para reavaliarem os elementos do seu activo imobilizado corpóreo, independentemente de o terem ou não já reavaliado ao abrigo de outros diplomas legais, tendo, por sua vez, o Decreto-Lei 119-D/83, de 28 de Fevereiro, estabelecido igualmente a isenção daquele imposto para a incorporação das reservas decorrentes dessa reavaliação, desde que o requeressem até 31 de Outubro de 1983, sendo agora este prazo prorrogado até 31 de Dezembro do ano corrente.

Por outro lado, às sociedades por quotas e às sociedades anónimas cujas acções não preencham os requisitos exigidos para serem admitidas à cotação na bolsa concede-se, uma vez mais, a possibilidade de obterem a isenção do imposto de mais-valias para a incorporação das reservas constituídas nos termos dos Decretos-Leis n.os 430/78, de 27 de Dezembro, e 24/82, de 30 de Janeiro, estendendo-se agora esse benefício também à incorporação de reservas que não provenham da reavaliação de bens do activo imobilizado, justificando-se a limitação posta quanto às sociedades anónimas pelo facto de terem sido já criados benefícios fiscais para as que tenham acções cotadas na bolsa e satisfaçam os demais pressupostos estabelecidos no artigo 1.º do Decreto-Lei 409/82, de 29 de Setembro.

Assim, no uso da autorização concedida pelos n.os 3 e 4 do artigo 17.º da Lei 42/83, de 31 de Dezembro, o Governo decreta, nos termos das alíneas a) e b) do n.º 1 do artigo 201.º da Constituição, o seguinte:

Artigo 1.º Ficam isentos de imposto de mais-valias os ganhos realizados através do aumento de capital das sociedades por quotas e das sociedades anónimas cujas acções não preencham as condições exigidas para a sua admissão à cotação na bolsa, mediante:

a) A incorporação de reservas não provenientes da reavaliação dos bens do seu activo imobilizado corpóreo;

b) A incorporação de reservas constituídas no termos dos Decretos-Leis n.os 430/78, de 27 de Dezembro, e 24/82, de 30 de Janeiro.

Art. 2.º - 1 - O direito à isenção será reconhecido pelo Ministro das Finanças e do Plano ou pelo chefe da repartição de finanças da área da sede das sociedades nos casos em que o pedido se reporte exclusivamente à incorporação prevista na alínea a) do artigo anterior, mediante requerimento apresentado até 31 de Dezembro de 1984, com observância do disposto no n.º 2 deste artigo e nos artigos 3.º e 4.º desde diploma.

2 - As sociedades anónimas deverão apresentar certidão passada pela bolsa comprovativa de que as acções não reúnem as condições exigidas para a sua admissão à cotação, salvo se dos elementos fornecidos pela requerente ou em poder da repartição de finanças se puder verificar desde logo tal inadmissibilidade, por falta de qualquer dos requisitos exigidos nas alíneas a) ou d) do artigo 37.º do Decreto-Lei 8/74, de 14 de Janeiro.

Art. 3.º - 1 - Tratando-se da incorporação de reservas não provenientes da reavaliação de bens do activo imobilizado, indicar-se-á no requerimento o montante das reservas a incorporar, discriminadas segundo a sua proveniência, juntando-se ainda a participação, balanço e demais documentos referidos nos artigos 23.º e 24.º do Código do Imposto de Mais-Valias e a pública-forma da acta da assembleia geral que tiver aprovado as contas e deliberado a aplicação dos resultados.

2 - O aumento de capital deverá efectivar-se no prazo de 120 dias a contar da data da comunicação do despacho que reconhecer o direito à isenção, sob pena de esta ficar sem efeito.

Art. 4.º Se o pedido envolver a incorporação de reservas previstas na alínea b) do artigo 1.º, observar-se-á o disposto nos artigos 2.º e 4.º do Decreto-Lei 278/79, de 9 de Agosto.

Art. 5.º - 1 - É prorrogado até 31 de Dezembro de 1984 o prazo referido no artigo 1.º, n.º 1, do Decreto-Lei 119-D/83, de 28 de Fevereiro, para as sociedades aí referidas requererem a isenção do imposto de mais-valias, ainda que já tenham efectuado o respectivo aumento de capital, observando-se, para o efeito, o preceituado no artigo 1.º daquele diploma, com a alteração correspondente da data aí indicada.

2 - Se, porém, tiver sido já concedida a isenção de imposto nos termos do citado Decreto-Lei 119-D/83, mas esta tiver ficado sem efeito por se não ter efectivado o aumento de capital no prazo de 120 dias, a sociedade deverá apresentar apenas o requerimento indicado no seu artigo 1.º 3 - O disposto no n.º 1 não se aplica aos casos em que a isenção tenha ficado sem efeito nos termos da alínea a) do artigo 4.º do Decreto-Lei 278/79, de 9 de Agosto, com a alteração introduzida pelo n.º 2 do artigo 1.º do mesmo Decreto-Lei 119-D/83.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 15 de Março de 1984. - Carlos Alberto da Mota Pinto - Ernâni Rodrigues Lopes.

Promulgado em 21 de Março de 1984.

Publique-se.

O Presidente da República, ANTÓNIO RAMALHO EANES.

Referendado em 22 de Março de 1984.

O Primeiro-Ministro, Mário Soares.

Anexos

  • Texto integral do documento: https://dre.tretas.org/pdfs/1984/04/03/plain-490.pdf ;
  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/490.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1974-01-14 - Decreto-Lei 8/74 - Ministério das Finanças - Secretaria de Estado do Tesouro

    Regula a organização e o funcionamento das bolsas de valores, bem como a disciplina das operações que nelas se realizam e estabelece o Regimento do Ofício de Corretor.

  • Tem documento Em vigor 1979-08-09 - Decreto-Lei 278/79 - Ministério das Finanças e do Plano - Secretaria de Estado do Orçamento - Direcção-Geral das Contribuições e Impostos

    Estabelece normas relativas à isenção do imposto de mais-valias.

  • Tem documento Em vigor 1982-06-02 - Decreto-Lei 219/82 - Ministério das Finanças e do Plano - Secretaria de Estado do Orçamento - Direcção-Geral das Contribuições e Impostos

    Fixa as normas em que poderá efectuar-se a reavaliação dos bens do activo imobilizado corpóreo que estejam ao serviço da empresa no momento da reavaliação.

  • Tem documento Em vigor 1982-09-29 - Decreto-Lei 409/82 - Ministério das Finanças e do Plano - Secretaria de Estado do Orçamento

    Isenção de imposto de mais-valias e imposto do selo relativa a aumento de capital.

  • Tem documento Em vigor 1983-02-28 - Decreto-Lei 119-D/83 - Ministério das Finanças e do Plano - Secretaria de Estado do Orçamento

    Isenta do imposto do mais-valias as incorporações de capital realizadas nos termos do Decreto-Lei n.º 219/82, de 2 de Junho.

  • Tem documento Em vigor 1983-12-31 - Lei 42/83 - Assembleia da República

    Orçamento do Estado para 1984.

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1985-01-15 - Decreto-Lei 15/85 - Ministério das Finanças e do Plano

    Esclarece o condicionalismo a que deve obedecer o processo de passagem da certidão às sociedades que requeiram a isenção do imposto de mais-valias referida no n.º 2 do artigo 2.º do Decreto-Lei n.º 110/84, de 3 de Abril.

  • Tem documento Em vigor 1985-02-28 - Lei 2-B/85 - Assembleia da República

    Orçamento do Estado para 1985.

  • Tem documento Em vigor 2019-04-15 - Decreto-Lei 49/2019 - Presidência do Conselho de Ministros

    Determina a cessação de vigência de decretos-leis publicados entre os anos de 1981 e 1985

  • Tem documento Em vigor 2019-08-05 - Lei 56/2019 - Assembleia da República

    Cessação de vigência de decretos-leis publicados entre os anos de 1981 e 1985

  • Tem documento Em vigor 2019-08-22 - Declaração de Retificação 39/2019 - Assembleia da República

    Declaração de Retificação à Lei n.º 56/2019, de 5 de agosto «Cessação de vigência de decretos-leis publicados entre os anos de 1981 e 1985», publicada no Diário da República, 1.ª série, n.º 148, de 5 de agosto de 2019

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda