Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Decreto-lei 47966, de 27 de Setembro

Partilhar:

Sumário

Altera o sistema de cobrança da incidência das taxas devidas à Junta Nacional do Vinho sobre os vinhos engarrafados, sob marcas comerciais ou industriais, em recipientes de qualquer natureza e de capacidade até 5,3 L ainda que de marca registada.

Texto do documento

Decreto-Lei 47966

A execução do disposto no Decreto-Lei 45717, de 16 de Maio de 1964, que actualizou algumas disposições respeitantes à incidência das taxas sobre os vinhos engarrafados, suscitou dúvidas quanto à sua aplicação aos vinhos da região demarcada do Dão, tornando-se, assim, necessário interpretar e definir o alcance preciso do referido diploma, por forma a ficar bem explícito que ele abrange também aqueles vinhos.

Aproveitou-se, porém, a oportunidade para estabelecer um regime uniforme, relativo às taxas que incidem sobre os vinhos e seus derivados engarrafados sob marcas comerciais ou industriais, produzidos ou consumidos em toda a área de intervenção da Junta Nacional do Vinho, abrangendo, assim, além da própria área da Junta, a das regiões demarcadas nela compreendidas e das regiões demarcadas do Dão e dos vinhos verdes.

Por outro lado, uniformizou-se, ainda, e simplificou-se o sistema de cobrança das referidas taxas, de modo a permitir, dentro daquela área, uma mais fácil circulação dos produtos vínicos comercializados em recipientes de pequena capacidade, qualquer que seja a região de produção.

Nestes termos:

Usando da faculdade conferida pela 1.ª parte do n.º 2.º do artigo 109.º da Constituição, o Governo decreta e eu promulgo, para valer como lei, o seguinte:

Artigo 1.º As taxas a que se refere o Decreto-Lei 26317, de 30 de Janeiro de 1936, abrangem os vinhos e seus derivados engarrafados, sob marcas comerciais ou industriais, em recipientes de qualquer natureza e de capacidade até 5,3 l, ainda que de marca registada.

Art. 2.º As taxas de que tratam os artigos 2.º e 3.º do Decreto-Lei 40037, de 18 de Janeiro de 1955, e o artigo 2.º do Decreto-Lei 43550, de 21 de Março de 1961, incidem sobre os vinhos e seus derivados engarrafados, sob marcas comerciais ou industriais, em recipientes de qualquer natureza e de capacidade até 5,3 l, ainda que de marca registada.

Art. 3.º As taxas a que se referem os artigos anteriores são aplicáveis aos vinhos e derivados produzidos ou consumidos na região demarcada dos vinhos verdes, quando engarrafados, sob marcas comerciais ou industriais, em recipientes de qualquer natureza e de capacidade até 5,3 l, ainda que de marca registada.

Art. 4.º Os quantitativos das taxas referidas nos artigos anteriores são determinados pela forma seguinte:

a) O correspondente ao litro, por litro ou fracção, para cada recipiente de capacidade superior a 1 l;

b) O correspondente ao litro, para cada recipiente de capacidade compreendida entre 6 dl e 1 l;

c) O correspondente a metade, para cada recipiente de capacidade inferior a 6 dl.

Art. 5.º A cobrança das taxas mencionadas neste diploma será sempre efectuada através de selo ou cápsula emitidos, conforme a respectiva área de proveniência dos produtos, pela Junta Nacional do Vinho ou pelos organismos vinícolas das regiões demarcadas.

§ 1.º Os organismos vinícolas das regiões demarcadas deverão utilizar, para efeito do disposto no corpo deste artigo, relativamente aos vinhos típicos regionais, o respectivo selo de garantia regional e, para os restantes produtos provenientes da sua área, um selo ou cápsula iguais ou análogos aos adoptados pela Junta Nacional do Vinho.

§ 2.º Os organismos vinícolas das regiões demarcadas, por comum acordo, adaptarão os modelos de selos de garantia regional em uso, com vista à sua uniformização e a fim de os distinguir do modelo ou modelos utilizados na selagem dos produtos vínicos que não beneficiam de tal garantia, devendo os novos modelos ser aprovados por despacho do Secretário de Estado do Comércio.

Art. 6.º O produto da cobrança das taxas a que se referem os artigos anteriores será distribuído do seguinte modo:

a) No caso dos vinhos e derivados provenientes das regiões demarcadas dos vinhos verdes e do Dão, em que a Junta Nacional do Vinho apenas exerce a sua acção de regularização do mercado, reverterá para este organismo, qualquer que seja a região de consumo, o equivalente a metade das taxas a que se referem os Decretos-Leis n.os 40037 e 43550 e o restante para o organismo vinícola da região de origem;

b) No caso dos vinhos e derivados provenientes das regiões demarcadas integradas na área da Junta Nacional do Vinho, reverterá para este organismo, qualquer que seja a região de consumo, o equivalente às taxas previstas nos Decretos-Leis n.os 40037 e 43550 e o restante para o organismo vinícola da região de origem;

c) Nos outros casos, qualquer que seja a região do consumo, reverterá integralmente para a Junta Nacional do Vinho.

Art. 7.º O produto de cobrança que, nos termos do artigo anterior, reverte para a Junta Nacional do Vinho terá a seguinte aplicação:

a) No caso referido na alínea a), para efeito de reajustamento económico dos preços dos produtos vínicos;

b) No caso referido na alínea b), metade para efeito de reajustamento económico dos preços dos produtos vínicos e a outra metade para reajustamento da produção por meio da extensão da rede das adegas cooperativas e para o estabelecimento e ampliação da capacidade de armazenagem necessária à regularização do mercado;

c) Nos outros canos referidos na alínea c), de acordo com as disposições legais em vigor respeitantes às receitas gerais da Junta.

Art. 8.º O produto da cobrança que, nos termos do artigo 6.º, reverte para os organismos vinícolas regionais terá a seguinte aplicação:

a) No caso dos organismos das regiões demarcadas, em que a Junta Nacional , do Vinho apenas exerce a sua acção de regularização do mercado o equivalente às taxas previstas no Decreto-Lei 26317 para as despesas de administração e fiscalização dos respectivos organismos e o restante para o apetrechamento da produção por meio da extensão da rede de adegas cooperativas e para o estabelecimento e ampliação da capacidade de armazenagem necessária à regularização do mercado;

b) No caso dos organismos das regiões demarcadas integradas na área da Junta Nacional do Vinho, para as despesas de administração e fiscalização dos respectivos organismos.

Art. 9.º A venda, exposição à venda ou trânsito dos produtos abrangidos por este diploma sem a aposição nos respectivos recipientes dos selos ou cápsulas a que se refere o artigo 5.º constitui contravenção punível nos termos do artigo 33.º do Decreto-Lei 41204, de 24 de Julho de 1957, sem prejuízo do pagamento das importâncias relativas às taxas correspondentes.

§ único. Em casos excepcionais devidamente justificados, poderá efectuar-se o trânsito entre armazéns e a armazenagem de produtos de garrafeira, reserva e similares sem a aposição dos selos nos respectivos recipientes, mediante prévia autorização dos organismos vinícolas que superintendem nas regiões de proveniência dos produtos e naquelas em que se efectue o trânsito ou armazenagem, desde que os selos devidos, perfeitamente identificados, acompanhem os produtos e a documentação inerente.

Art. 10.º A partir da entrada em vigor do presente decreto-lei devem deixar de ser cobradas pelos organismos vinícolas das regiões demarcadas integradas na área da Junta Nacional do Vinho as taxas que se encontravam estabelecidas com base no manifesto da produção e que constituíam receitas dos referidos organismos regionais.

Art. 11.º As dúvidas e casos omissos serão resolvidos em portaria do Secretário de Estado do Comércio.

Art. 12.º Ficam revogados por este diploma os Decretos-Leis n.os 42602 e 45717, respectivamente de 20 de Outubro de 1959 e de 16 de Maio de 1964, bem como o § 2.º do artigo 2.º, o § 2.º do artigo 3.º e a artigo 4.º do Decreto-Lei 45675, de 23 de Abril de 1964.

Publique-se e cumpra-se como nele se contém.

Paços do Governo da República, 27 de Setembro de 1967. - AMÉRICO DEUS RODRIGUES THOMAZ - António de Oliveira Salazar - António Jorge Martins da Mota Veiga - Manuel Gomes de Araújo - Alfredo Rodrigues dos Santos Júnior - João de Matos Antunes Varela - Ulisses Cruz de Aguiar Cortês - Joaquim da Luz Cunha - Fernando Quintanilha Mendonça Dias - Alberto Marciano Gorjão Franco Nogueira - José Albino Machado Vaz - Joaquim Moreira da Silva Cunha - Inocêncio Galvão Teles - José Gonçalo da Cunha Sottomayor Correia de Oliveira - Carlos Gomes da Silva Ribeiro - José João Gonçalves de Proença - Francisco Pereira Neto de Carvalho - Fernando Manuel Alves Machado.

Anexos

  • Texto integral do documento: https://dre.tretas.org/pdfs/1967/09/27/plain-82310.pdf ;
  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/82310.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1936-01-30 - Decreto-Lei 26317 - Ministério do Comércio e Indústria - Direcção Geral do Comércio

    Dispõe sobre as contribuições a pagar pelos vinicultores inscritos na Federação dos Vinicultores do Centro e Sul de Portugal e na União Vinícola do Dão (Adega do Dão), para a constituição dos respectivos fundos sociais.

  • Tem documento Em vigor 1955-01-18 - Decreto-Lei 40037 - Ministério da Economia - Gabinete do Ministro

    Suspende a concessão de licenças para plantio de vinha, ao abrigo do artigo n.º 4 e suas alíneas do Decreto-Lei 38525, de 23 de Novembro de 1951. Cria uma taxa que incidira sobre o vinho de pasto ou de mesa, vendido ao público em toda a área da Junta Nacional do Vinho.

  • Tem documento Em vigor 1957-07-24 - Decreto-Lei 41204 - Ministérios do Interior, da Justiça, da Economia e das Corporações e Previdência Social

    Insere disposições relativas às infracções contra a saúde pública e contra a economia nacional.

  • Tem documento Em vigor 1961-03-21 - Decreto-Lei 43550 - Ministério da Economia - Secretaria de Estado do Comércio

    Fixa uma nova taxa que incidirá sobre o vinho de pasto ou de mesa, vendido ao público, em toda a área da Junta Nacional do Vinho, bem como sobre o Vinho adquirido directamente aos produtores.

  • Tem documento Em vigor 1964-04-23 - Decreto-Lei 45675 - Ministério da Economia - Secretarias de Estado da Agricultura e do Comércio

    Unifica, em toda a área de intervenção da Junta Nacional do Vinho, o quantitativo das taxas que incidem sobre o vinho, na região demarcada dos vinhos verdes, e dispõe sobre o sistema de cobrança das mesmas.

  • Tem documento Em vigor 1964-05-16 - Decreto-Lei 45717 - Ministério da Economia - Secretaria de Estado do Comércio

    Actualiza as disposições em vigor respeitantes à incidência das taxas devidas à Junta Nacional do Vinho sobre todos os vinhos comuns, de pasto ou de mesa, gaseificados ou não, engarrafados em recipientes de qualquer natureza e capacidade, incluindo os vinhos de marca registada.

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1984-02-02 - Decreto-Lei 39/84 - Ministérios da Agricultura, Florestas e Alimentação e do Comércio e Turismo

    Estabelece as condições que assegurem a defesa da qualidade das aguardentes vinicas e bagaceiras da Região Demarcada dos Vinhos Verdes.

  • Tem documento Em vigor 1985-05-20 - Decreto-Lei 170/85 - Ministério da Agricultura

    Adopta medidas de carácter disciplinador no respeitante às aguardentes de origem vínica produzidas na Região Demarcada do Dão e estabelece os termos em que poderá ser utilizada a respectiva indicação regional.

  • Tem documento Em vigor 1995-06-14 - Decreto-Lei 137/95 - Ministério da Agricultura

    Simplifica o regime tarifário incidente sobre os produtos vínicos.

  • Tem documento Em vigor 1997-05-15 - Decreto-Lei 119/97 - Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas

    Aprova o regime das taxas incidentes sobre os vinhos e produtos vínicos, produzidos no território nacional, ou noutros países e aqui comercializados.

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda