Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Decreto-lei 131/80, de 17 de Maio

Partilhar:

Sumário

Introduz alterações ao Decreto-Lei n.º 513-L1/79, de 27 de Dezembro (ensino superior politécnico).

Texto do documento

Decreto-Lei 131/80

de 17 de Maio

Verificada a necessidade de corrigir determinados aspectos do regime de instalação dos estabelecimentos de ensino superior politécnico, aprovado pelo Decreto-Lei 513-L1/79, de 27 de Dezembro:

O Governo decreta, nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 201.º da Constituição, o seguinte:

Artigo 1.º Os artigos 6.º, 16.º, 25.º, 27.º e 34.º, todos do Decreto-Lei 513-L1/79, de 27 de Dezembro, passam a ter a seguinte redacção:

Art. 6.º - 1 - A comissão instaladora de cada escola superior é composta por um presidente e dois vogais, nomeados, com ou sem precedência de concurso documental, por despacho do Ministro da Educação e Ciência, de entre individualidades de reconhecida competência científica, profissional ou técnica.

2 - Os membros das comissões instaladoras a que se refere o presente artigo são, por inerência, professores da respectiva escola, percebendo, nesta qualidade, vencimento idêntico ao que vier a ser fixado para o pessoal docente nomeado ao abrigo do disposto no artigo 25.º 3 - As nomeações previstas no n.º 1 consideram-se efectuadas em regime de comissão de serviço, a menos que recaiam em gestores ou técnicos dos sectores público empresarial ou privado, casos em que se considerarão efectuadas em regime de requisição, de acordo com a legislação aplicável, salvo o disposto nos números anteriores.

4 - A requisição tem lugar por períodos anuais, até ao máximo de seis, considerando-se tacitamente renovada se, até trinta dias antes do termo de cada período, nenhuma das partes manifestar a intenção de a fazer cessar.

5 - Os gestores e os técnicos a que se alude no n.º 3 poderão optar pelo vencimento que auferiam na respectiva empresa ou pelo correspondente às funções que vão desempenhar, cabendo, porém, em qualquer dos casos, à entidade requisitante suportar o encargo decorrente da opção feita.

................................................................................

Art. 16.º - 1 - ...........................................................

2 - Os titulares do cargo a que se refere o número anterior auferem o vencimento correspondente à letra A da tabela salarial da função pública.

3 - Às nomeações previstas neste artigo é aplicável o disposto nos n.os 3, 4 e 5 do artigo 6.º ................................................................................

Art. 25.º - 1 - Independentemente do que vier a ficar consignado no diploma regulador da carreira docente do ensino superior politécnico, poderá o Ministro da Educação e Ciência, no decurso do período de instalação, nomear como professores das escolas superiores, a título excepcional e sob proposta devidamente fundamentada das comissões instaladoras, individualidades especialmente qualificadas do ponto de vista profissional que se encontrem habilitadas, pelo menos, com uma licenciatura ou equivalente.

2 - ...........................................................................

3 - ...........................................................................

................................................................................

Art. 27.º - 1 - Durante o período de instalação, poderão ainda as comissões instaladoras, igualmente com vista ao exercício de funções docentes, propor ao Ministro da Educação e Ciência a admissão de outras individualidades que considerem científica, pedagógica, profissional ou tecnicamente idóneas.

................................................................................

2 - ...........................................................................

3 - ...........................................................................

4 - ...........................................................................

5 - ...........................................................................

................................................................................

Art. 34.º - 1 - ...........................................................

2 - O pessoal em exercício à data da publicação do diploma a que se refere o número anterior, desde que tenha sido regularmente admitido, poderá ingressar nos quadros e ser provido em lugares de categoria idêntica ou equivalente à que possuía, mediante despacho do Ministro da Educação e Ciência.

Art. 2.º As referências feitas no Decreto-Lei 513-L1/79, de 27 de Dezembro, aos Ministros de Finanças e da Educação e ao Secretário de Estado da Administração Pública consideram-se reportadas, respectivamente, aos Ministros das Finanças e do Plano e da Educação e Ciência e ao Secretário de Estado da Reforma Administrativa.

Art. 3.º São revogados os artigos 25.º, n.º 4, e 26.º, ambos do Decreto-Lei 513-L1/79, de 27 de Dezembro.

Art. 4.º O presente diploma entra em vigor no dia seguinte ao da sua publicação.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 27 de Março de 1980. - Francisco Sá Carneiro.

Promulgado em 9 de Maio de 1980.

Publique-se.

O Presidente da República, ANTÓNIO RAMALHO EANES.

Anexos

  • Texto integral do documento: https://dre.tretas.org/pdfs/1980/05/17/plain-305.pdf ;
  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/305.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga ao seguinte documento (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1982-09-21 - Decreto-Lei 395/82 - Ministério da Educação

    Cria a Escola Superior de Educação da Madeira (ESEM).

  • Tem documento Em vigor 1983-07-01 - Decreto-Lei 310/83 - Ministérios das Finanças e do Plano, da Educação e da Reforma Administrativa

    Reestrutura o ensino da música, dança, teatro e cinema.

  • Tem documento Em vigor 1988-11-08 - Decreto-Lei 399/88 - Ministério da Educação

    Regula a composição das comissões instaladoras de escolas superiores em que sejam leccionados cursos de turismo.

  • Tem documento Em vigor 1990-12-10 - Decreto-Lei 388/90 - Ministério da Educação

    Aprova o regime de suplementos para os titulares dos cargos de gestão de estabelecimentos de ensino superior.

  • Tem documento Em vigor 2018-05-08 - Decreto-Lei 32/2018 - Presidência do Conselho de Ministros

    Determina a cessação de vigência de decretos-leis publicados entre os anos de 1975 e 1980

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda