Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Decreto-lei 338/81, de 10 de Dezembro

Partilhar:

Sumário

Dá nova redacção a vários artigos do Decreto-Lei n.º 494/79, de 21 de Dezembro (comissões de coordenação regional).

Texto do documento

Decreto-Lei 338/81

de 10 de Dezembro

As comissões de coordenação regional (CCR) foram instituídas como órgãos periféricos da administração central para assegurarem, a nível técnico, as relações entre esta e os órgãos do poder local.

O acerto da solução, que a experiência do período decorrido confirmou, conduziu a que novas responsabilidades fossem confiadas às comissões de coordenação regional, que passaram também a responder pela gestão regionalizada do quadro geral administrativo dos serviços externos do Ministério da Administração Interna, estrutura que enquadra uma parte significativa dos efectivos humanos da área administrativa ao serviço dos órgãos autárquicos.

Por resolução do Conselho de Ministros, foram-lhes dadas atribuições como órgãos regionais de planeamento, tendo em conta as suas características e experiência adquirida no domínio do planeamento regional, que lhes permitem um fácil e permanente contacto com as autarquias locais.

É neste quadro de crescentes responsabilidades e de alargamento do campo de actuação que, como condições de operacionalidade e de representatividade, se considera oportuno proceder ao reajustamento da composição e das funções dos conselhos coordenador e consultivo.

Nestes termos:

O Governo decreta, nos termos da alínea a) do n.º 1 do artigo 201.º da Constituição, o seguinte:

Artigo único. A alínea e) do artigo 6.º e os artigos 9.º e 10.º do Decreto-Lei 494/79, de 21 de Dezembro, passam a ter a seguinte redacção:

Art. 6.º Compete ao presidente de cada CCR:

a) ............................................................................

b) ............................................................................

c) ............................................................................

d) ............................................................................

e) Convocar e presidir às reuniões do conselho coordenador regional e assegurar as funções de secretário-geral do conselho consultivo regional;

f) .............................................................................

g) ............................................................................

h) ............................................................................

Art. 9.º - 1 - O conselho consultivo regional é composto por um representante de cada agrupamento de municípios, definidos pelo Decreto-Lei 58/79, de 29 de Março, da área de actuação da respectiva CCR.

2 - Os municípios de cada uma das áreas envolventes de Lisboa e Porto não abrangidos pelos agrupamentos referidos no número anterior terão, respectivamente, 6 e 3 representantes, cabendo, quanto à área envolvente de Lisboa, 4 aos municípios da margem norte do Tejo e 2 aos da margem sul.

3 - A representação no conselho consultivo é assegurada por presidentes de câmara designados nos termos dos números seguintes por períodos correspondentes aos dos mandatos dos órgãos autárquicos.

4 - Os presidentes das câmaras dos municípios interessados designarão de entre si aqueles que hão-de assegurar a representação, bem como os correspondentes substitutos.

5 - Nas áreas envolventes de Lisboa e Porto, os presidentes das respectivas CCR convocarão as reuniões para efeitos de designar os representantes no conselho consultivo.

6 - Os governadores civis dos distritos abrangidos pelas CCR podem assistir às reuniões do conselho consultivo, devendo ser-lhes dado conhecimento obrigatório das respectivas convocatórias.

7 - A presidência e a vice-presidência do conselho consultivo será assegurada pelos membros que o conselho eleger para o efeito, podendo os seus mandatos cessar a qualquer momento por deliberação do próprio conselho.

8 - Na qualidade de secretário-geral do conselho consultivo, compete ao presidente da CCR:

a) Assegurar as condições para o seu regular funcionamento e para o exercício das respectivas competências;

b) Coordenar os meios de acção ao dispor da CCR no apoio administrativo e técnico de que o conselho consultivo careça;

c) Solicitar ao presidente do conselho consultivo a sua convocação sempre que o entenda necessário;

d) Preparar as reuniões e a documentação necessária à intervenção do conselho consultivo nos domínios da sua competência.

9 - Compete ao conselho consultivo regional:

a) Aprovar o seu próprio regimento;

b) Dar parecer sobre o programa de actividades, o orçamento e o relatório e contas da CCR;

c) Dar parecer sobre o plano e os programas de investimentos da administração central para a região;

d) Dar parecer sobre a coordenação dos meios de acção existentes para as actividades de carácter regional;

e) Dar parecer sobre as prioridades dos investimentos de carácter regional no quadro dos planos de médio prazo e anuais;

f) Pronunciar-se sobre acções intersectarias de interesse para a região;

g) Dar parecer sobre os planos e programas de desenvolvimento da região;

h) Dar parecer sobre os relatórios de execução de programas e projectos de interesse para a região.

10 - O conselho consultivo tem 2 reuniões ordinárias anuais e as extraordinárias que forem convocadas pelo seu presidente; as reuniões convocadas nos termos da alínea c) do n.º 7 serão marcadas para data não excedente a 20 dias sobre a data de formulação do pedido.

Art. 10.º - 1 - Como órgão técnico, o conselho coordenador regional é composto por:

a) Presidente da CCR, que presidirá e convocará as reuniões;

b) Directores das GAT da região;

c) Responsáveis regionais por serviços da administração central.

2 - O director-geral da Acção Regional e Local pode assistir às reuniões do conselho coordenador ou fazer-se nelas representar, devendo ser-lhe dado conhecimento das respectivas convocatórias.

3 - O conselho coordenador regional pode chamar a participar nos seus trabalhos entidades responsáveis por outros serviços.

4 - A organização do conselho coordenador regional pode ser fixado por regulamento interno e prever o seu funcionamento em plenário ou por secções de interesses ou de subáreas regionais.

5 - Compete ao conselho coordenador regional:

a) Dar parecer prévio à apreciação pelo conselho consultivo dos programas e relatórios de actividades;

b) Pronunciar-se sobre a compatibilização dos programas e prioridades de investimentos na região;

c) Contribuir para a definição de critérios de repartição quantitativa e de distribuição geográfica das dotações regionalizadas para o investimento, da responsabilidade do sector público;

d) Propor às entidades e serviços competentes as iniciativas que entenda adequadas à resolução de problemas detectados na área da sua competência;

e) Propor medidas tendentes à compatibilização das actuações dos diversos sectores das administrações central e local na região;

f) Assegurar a coordenação da execução dos programas de desenvolvimento integrado em curso na região.

6 - O plenário do conselho coordenador regional tem reuniões ordinárias trimestrais, e as extraordinárias que se mostrem necessárias.

7 - A representação prevista na alínea c) do n.º 1 deste artigo deverá recair no funcionário responsável pela coordenação regional do sector, quando existir, ou em responsável por funções de coordenação superior de cada ministério ou secretaria de Estado representados, devendo ser nomeado por despacho conjunto do Ministro da Administração Interna e do titular da respectiva pasta.

8 - Integram obrigatoriamente o conselho coordenador regional representantes dos seguintes departamentos da administração central:

Turismo;

Ordenamento e Ambiente;

Educação;

Emprego;

Saúde;

Segurança Social;

Cultura;

Agricultura;

Comércio;

Pescas;

Indústria;

Habitação e Urbanismo;

Obras Públicas;

Transportes e Comunicações.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 5 de Novembro de 1981. - Francisco José Pereira Pinto Balsemão.

Promulgado em 23 de Novembro de 1981.

Publique-se.

O Presidente da República, ANTÓNIO RAMALHO EANES.

Anexos

  • Texto integral do documento: https://dre.tretas.org/pdfs/1981/12/10/plain-64.pdf ;
  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/64.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Não tem documento Em vigor 1982-01-08 - DECLARAÇÃO DD5849 - PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

    Declara ter sido rectificado o Decreto-Lei n.º 338/81, de 10 de Dezembro, que dá nova redacção a vários artigos do Decreto-Lei n.º 494/79, de 21 de Dezembro (comissões de coordenação regional).

  • Tem documento Em vigor 1982-01-08 - Declaração - Presidência do Conselho de Ministros - Secretaria-Geral

    De ter sido rectificado o Decreto-Lei n.º 338/81, publicado no Diário da República, 1.ª série, n.º 283, de 10 de Dezembro de 1981

  • Tem documento Em vigor 1982-03-05 - Despacho Normativo 24/82 - Ministério da Administração Interna - Gabinete do Ministro

    Estabelece a forma como será feita a designação dos representantes, no Conselho Consultivo Regional, dos municípios da área envolvente de Lisboa.

  • Tem documento Em vigor 1989-08-17 - Decreto-Lei 260/89 - Ministério do Planeamento e da Administração do Território

    Lei Orgânica das Comissões de Coordenação Regional.

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda