Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Decreto Regulamentar 25/88, de 17 de Junho

Partilhar:

Sumário

Altera o Decreto Regulamentar nº 70/83 de 20 de Julho (Estatutos do Instituto das Comunicações de Portugal) criando a Comissão Instaladora do referido instituto.

Texto do documento

Decreto Regulamentar 25/88
de 17 de Junho
O Instituto das Comunicações de Portugal (ICP) foi criado pelo Decreto-Lei 188/81, de 2 de Julho, estando-lhe cometidas funções de apoio ao Governo nas áreas da coordenação, tutela e planeamento do sector das comunicações de uso público e ainda funções que até aqui vinham sendo asseguradas pelos Correios e Telecomunicações de Portugal (CTT), E. P., mas cuja natureza impõe sejam desempenhadas por um instituto público.

A entrada em funcionamento do ICP ficou dependente da publicação e entrada em vigor dos respectivos estatutos, circunstância que veio a verificar-se com a publicação do Decreto Regulamentar 70/83, de 20 de Julho, nos termos do qual o ICP deveria «ficar implementado no prazo de seis meses», o que, por razões de ordem vária, não veio nunca a verificar-se.

A análise entretanto efectuada permitiu não só concluir pelo acerto da decisão de criar o Instituto, mas também verificar que essa decisão corresponde à orientação comunitária, que aponta no sentido da separação das actividades de regulamentação e de exploração das administrações de telecomunicações.

Daí que o XI Governo Constitucional tenha decidido incluir no seu programa a implementação do ICP.

Se, pelo que respeita à criação do ICP, nenhumas dúvidas se suscitam, outro tanto não poderá dizer-se do quadro orgânico delineado pelos respectivos estatutos.

Com efeito, a natureza do Instituto e os objectivos que lhe estão cometidos, no quadro de um sector em rápida e permanente evolução, situado nas fronteiras de inovação tecnológica e com forte impacte nos tecidos económicos e sociais, não são compatíveis com as regras de funcionamento do ICP e de preenchimento dos seus quadros, definidos pelo Decreto Regulamentar 70/83.

O Governo entende, por isso, que a entrada em funcionamento do Instituto dever ser precedida de uma fase de instalação que permita não só criar as condições indispensáveis ao seu arranque, mas também adequar os respectivos estatutos à natureza da actividade que lhe vai ser confiada.

Foram ouvidos os órgãos de governo próprio das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

Assim:
Ao abrigo do disposto no artigo 20.º do Decreto-Lei 188/81, de 2 de Julho, e da alínea c) do artigo 202.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte:

Artigo único. O artigo 33.º do Decreto Regulamentar 70/83, de 20 de Julho, passa a ter a seguinte redacção:

Art. 33.º - 1 - É criada a comissão instaladora do ICP (CI/ICP) para, no prazo de seis meses a contar da sua posse:

a) Estudar e propor eventuais alterações aos Estatutos do ICP, designadamente no sentido de estabelecer para o pessoal o regime do contrato individual de trabalho, mantendo a prevista auto-suficiência financeira do organismo;

b) Propor as medidas necessárias para que o ICP possa iniciar a sua actividade no 2.º semestre de 1988;

c) Propor um plano de actividades com indicação dos recursos necessários ao seu cumprimento.

2 - A CI/ICP será constituída por quatro membros designados por despacho do Ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, que exercerão as suas funções em regime de requisição.

3 - Todo o apoio, designadamente logístico, necessário ao trabalho do CI/ICP será assegurado pelos Correios e Telecomunicações de Portugal (CTT), E. P.

Presidência do Conselho de Ministros, 2 de Maio de 1988.
Aníbal António Cavaco Silva - Miguel José Ribeiro Cadilhe - João Maria Leitão de Oliveira Martins.

Promulgado em 27 de Maio de 1988.
Publique-se.
O Presidente da República, MÁRIO SOARES.
Referendado em 1 de Junho de 1988.
O Primeiro-Ministro, Aníbal António Cavaco Silva.

Anexos

  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/3445.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1981-07-02 - Decreto-Lei 188/81 - Ministério dos Transportes e Comunicações

    Estabelece os princípios gerais das comunicações.

  • Tem documento Em vigor 1983-07-20 - Decreto Regulamentar 70/83 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios das Finanças e do Plano, da Habitação, Obras Públicas e Transportes e da Reforma Administrativa

    Aprova os Estatutos do Instituto das Comunicações de Portugal.

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1989-02-01 - Decreto Regulamentar 4/89 - Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações

    Prorroga, por mais dois meses, o mandato da Comissão Instaladora do Instituto das Comunicações de Portugal, criada pelo Decreto Regulamentar nº 70/83, de 20 de Julho, na redacção conferida pelo Decreto Regulamentar nº 25/88 de 17 de Junho.

  • Tem documento Em vigor 1989-08-23 - Decreto-Lei 283/89 - Ministério das Obras Públicas, Transportes e Comunicações

    Aprova os novos Estatutos do Instituto das Comunicações de Portugal.

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda