Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Decreto-lei 148/84, de 10 de Maio

Partilhar:

Sumário

Possibilita a atribuição de abono de família e de outras prestações por encargos familiares a beneficiários do regime da segurança social candidatos a adoptantes, pelo facto de lhes terem sido confiados, de direito ou de facto, adoptandos que passem a estar a seu cargo.

Texto do documento

Decreto-Lei 148/84
de 10 de Maio
Sendo a adopção definida em termos da lei civil como o «vínculo que, à semelhança da filiação natural, mas independentemente dos laços de sangue, se estabelece entre duas pessoas», natural é que, para efeitos de protecção social aos cidadãos, a segurança social equipare os adoptados aos filhos.

Verifica-se, contudo, a existência de um hiato nessa protecção relativamente aos candidatos a adoptantes, designadamente durante o período que decorre entre o início do processo de adopção e a constituição do respectivo vínculo por sentença judicial.

Com efeito, o processo de adopção é um processo naturalmente complexo e demorado, dada a necessidade de acautelar os interesses da criança, quer através de inquéritos elaborados pelos serviços competentes, quer mediante um período mínimo de convivência com os candidatos a adoptantes que permita avaliar das reais vantagens que advêm para o adoptado da constituição do vínculo.

O Decreto-Lei 274/80, de 13 de Agosto, veio, nesta sequência, determinar que qualquer pessoa que queira adoptar um menor deverá comunicar essa intenção ao organismo de segurança social da área da sua residência, ainda mesmo quando o adoptando já esteja a residir consigo e a seu cargo.

Considerou-se assim que a partir desse momento se cia, por um lado, uma legítima expectativa quanto à constituição do vínculo de adopção e, por outro, que essa situação determina um acréscimo de encargos para a família que pretende adoptar, encargos esses que deverão ser objecto da devida compensação por parte da segurança social.

Nesta perspectiva, parece ser de elementar justiça equiparar os menores nas referidas condições aos descendentes do beneficiário ou do cônjuge para efeitos de atribuição das prestações por encargos familiares.

Nestes termos, ao abrigo da alínea a) do n.º 1 do artigo 201.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte:

Artigo único. O artigo 4.º do Decreto-Lei 197/77, de 17 de Maio, passa a ter a seguinte redacção:

Artigo 4.º
1 - ...
a) ...
b) Os menores que pretendam adoptar, desde que tenham procedido à comunicação prevista no n.º 1 do artigo 1.º do Decreto-Lei 274/80, de 13 de Agosto, e os mesmos lhes estejam confiados, de direito ou de facto, e a seu cargo.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 5 de Abril de 1984. - Mário Soares - António de Almeida Santos - Ernâni Rodrigues Lopes - Maria Leonor Couceiro Pizarro Beleza de Mendonça Tavares.

Promulgado em 23 de Abril de 1984.
Publique-se.
O Presidente da República, ANTÓNIO RAMALHO EANES.
Referendado em 26 de Abril de 1984.
O Primeiro-Ministro, Mário Soares.

Anexos

  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/812.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1977-05-17 - Decreto-Lei 197/77 - Ministérios da Administração Interna, das Finanças e dos Assuntos Sociais

    Estabelece disposições com vista à uniformização do regime de abono de família e prestações complementares.

  • Tem documento Em vigor 1980-08-13 - Decreto-Lei 274/80 - Presidência do Conselho de Ministros e Ministérios da Justiça e dos Assuntos Sociais

    Estabelece normas relativas a participação dos organismos de segurança social na organização dos processos de adopção de menores.

Ligações para este documento

Este documento é referido no seguinte documento (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 2019-04-15 - Decreto-Lei 49/2019 - Presidência do Conselho de Ministros

    Determina a cessação de vigência de decretos-leis publicados entre os anos de 1981 e 1985

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda