Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Decreto-lei 199/91, de 29 de Maio

Partilhar:

Sumário

Altera o Decreto-Lei n.º 199/88, de 31 de Maio, que estabelece os critérios e normas para o cálculo das indemnizações definitivas devidas pela nacionalização e expropriação de bens e direitos ao abrigo da legislação sobre a reforma agrária.

Texto do documento

Decreto-Lei 199/91

de 29 de Maio

A avaliação patrimonial dos bens nacionalizados ou expropriados no âmbito do processo da reforma agrária constitui um instrumento indispensável para a determinação das indemnizações definitivas previstas na Lei 80/77, de 26 de Outubro, e legislação complementar, nomeadamente o Decreto-Lei 199/88, de 31 de Maio.

Considerando, por outro lado, que não se encontram perfeitamente definidos no Decreto-Lei 199/88, de 31 de Maio, os critérios que devem presidir à avaliação dos bens móveis que constituem o capital de exploração dos prédios rústicos expropriados e nacionalizados, e posteriormente devolvidos aos titulares, importando clarificar esta matéria, em observância do previsto no Decreto-Lei 2/79, de 9 de Janeiro;

Considerando que o Decreto-Lei 199/88, de 31 de Maio, é omisso quanto aos critérios de indemnização para os frutos pendentes dos prédios rústicos expropriados e nacionalizados e que o Decreto-Lei 312/85, de 31 de Julho, apenas se aplica às produções florestais das áreas de reserva e que um elevado número de pedidos referentes a estas produções só poderá ser contemplado na fase de indemnização definitiva;

Assim:

No desenvolvimento do regime jurídico estabelecido pela Lei 80/77, de 26 de Outubro, e nos termos das alíneas a) e c) do n.º 1 do artigo 201.º da Constituição, o Governo decreta o seguinte:

Artigo 1.º Os artigos 2.º, 8.º, 10.º e 11.º do Decreto-Lei 199/88, de 31 de Maio, passam a ter a seguinte redacção:

Art. 2.º Serão objecto imediato de indemnização definitiva, calculada nos termos deste diploma:

a) Os prédios rústicos objecto de expropriação ou nacionalização ao abrigo da legislação sobre reforma agrária, neles se compreendendo todo o capital fundiário constituído, por terra e plantações, melhoramentos fundiários e obras e construções;

b) O capital de exploração existente no prédio rústico expropriado ou nacionalizado, nos termos da alínea anterior, que haja igualmente sido retirado pelo Estado ao seu titular, nele se compreendendo os gados, as máquinas, alfaias e equipamento, bem como outros factores de produção sob a forma de produtos armazenados;

c) Os prédios urbanos expropriados ou nacionalizados ao abrigo da legislação sobre reforma agrária.

Art. 8.º - 1 - ......................................................................................................

2 - Podem requerer a determinação da indemnização definitiva os titulares de bens ou direitos nacionalizados ou expropriados ao abrigo da legislação sobre reforma agrária ou os seus herdeiros ou legatários que declarem não ser titulares ao abrigo da legislação em vigor de direito à atribuição de reservas, ainda por exercer total ou parcialmente, devendo os respectivos pedidos dar entrada no Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação, no prazo de 90 dias a partir da publicação deste diploma, ou até 30 dias após a entrega da reserva ou publicação da portaria de reversão, caso estes actos ocorram em momento posterior.

3 - ....................................................................................................................

4 - ....................................................................................................................

5 - ....................................................................................................................

6 - ....................................................................................................................

7 - ....................................................................................................................

8 - ....................................................................................................................

Art. 10.º - 1 - ....................................................................................................

a) .....................................................................................................................

b) .....................................................................................................................

2 - ....................................................................................................................

a) .....................................................................................................................

b) .....................................................................................................................

c) Os rendimentos líquidos médios e os valores fundiários a definir em portaria conjunta dos Ministérios das Finanças e da Agricultura, Pescas e Alimentação.

3 - O valor das construções e edificações existentes à data da ocupação, nacionalização ou expropriação será determinado, independentemente do que contar na matriz ou no cadastro, com base no seu valor intrínseco, correspondente a uma percentagem do custo estimado da construção das mesmas, no ano em que ocorreu a ocupação, nacionalização ou expropriação, a qual reflectirá o número de anos da construção e o seu estado de conservação de acordo com as percentagens a fixar em portaria conjunta dos Ministérios das Finanças e da Agricultura, Pescas e Alimentação.

Art. 11.º - 1 - ....................................................................................................

2 - ....................................................................................................................

3 - ....................................................................................................................

4 - O capital de exploração que não tenha regressado à posse dos seus titulares ou que não tenha sido devolvido será avaliado com base no disposto na parte final do n.º 1 do artigo 13.º do Decreto-Lei 2/79, de 9 de Janeiro.

5 - Para efeitos do número anterior, deverão utilizar-se os preços correntes do SIMA - Serviço de Informação de Mercados Agrícolas, do Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação, para os gados, e, para as máquinas, alfaias e equipamento, ter-se-á em conta o seu estado real à data da ocupação/nacionalização/expropriação, aplicando-se os correspondentes coeficientes de desvalorização derivados das taxas previstas no artigo 6.º, n.º 2, do Decreto-Lei 2/79, de 9 de Janeiro.

6 - A indemnização pela privação do uso e fruição dos efectivos pecuários que integravam o capital de exploração será calculada nos termos do disposto no artigo 14.º deste diploma, para o período que medeia entre a data da ocupação/expropriação/nacionalização e a data da sua devolução, e de acordo com valores a estabelecer por portaria conjunta dos Ministérios das Finanças e da Agricultura, Pescas e Alimentação.

7 - A indemnização por frutos pendentes à data da expropriação ou nacionalização será calculada com base nos respectivos valores à data em que os mesmos foram ou seriam comercializados, e a correspondente a produtos armazenados não devolvidos com base no valor corrente à data do pagamento da indemnização.

Art. 2.º É aditado ao Decreto-Lei 199/88, de 31 de Maio, o seguinte artigo:

Art. 15.º Aos prédios ocupados, objecto de medidas de reforma agrária, aplicam-se, com as necessárias adaptações, as disposições do presente diploma.

Visto e aprovado em Conselho de Ministros de 7 de Março de 1991. - Aníbal António Cavaco Silva - Luís Miguel Couceiro Pizarro Beleza - Arlindo Marques da Cunha.

Promulgado em 4 de Maio de 1991.

Publique-se.

O Presidente da República, MÁRIO SOARES.

Referendado em 10 de Maio de 1991.

O Primeiro-Ministro, Aníbal António Cavaco Silva.

Anexos

  • Texto integral do documento: https://dre.tretas.org/pdfs/1991/05/29/plain-25989.pdf ;
  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/25989.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1977-10-26 - Lei 80/77 - Assembleia da República

    Aprova as indemnizações aos ex-titulares de direitos sobre bens nacionalizados ou expropriados.

  • Tem documento Em vigor 1979-01-09 - Decreto-Lei 2/79 - Ministérios das Finanças e do Plano e da Agricultura e Pescas

    Estabelece os critérios de avaliação para indemnização provisória.

  • Tem documento Em vigor 1985-07-31 - Decreto-Lei 312/85 - Ministério da Agricultura

    Disciplina os órgãos e departamentos do Estado e as entidades singulares ou colectivas gestoras, em nome próprio ou por conta alheia, de explorações agrícolas com montado de sobro, situadas em prédios rústicos nacionalizados ou expropriados, quanto às operações de extracção, comercialização e transporte de cortiça amadia e secundeira, de cortiça virgem e de bocados, bem como as demais operações inerentes à cultura suberícola.

  • Tem documento Em vigor 1988-05-31 - Decreto-Lei 199/88 - Ministério da Agricultura, Pescas e Alimentação

    Estabelece os critérios e normas para o cálculo das indemnizações definitivas devidas pela nacionalização e expropriação de bens e direitos ao abrigo da legislação sobre a reforma agrária.

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1995-02-14 - Decreto-Lei 38/95 - Ministério da Agricultura

    ESTABELECE NORMAS RELATIVAS A INDEMNIZAÇÃO DEVIDA PELA EXPROPRIAÇÃO E NACIONALIZAÇÃO RESULTANTES DO PROCESSO DA DENOMINADA 'REFORMA AGRARIA', ALTERANDO O DECRETO LEI 199/88, DE 31 DE MAIO. PREVÊ A PUBLICAÇÃO DE UMA PORTARIA CONJUNTA DOS MINISTROS DAS FINANÇAS E DA AGRICULTURA QUE DEFINIRÁ AS FÓRMULAS TÉCNICAS NECESSARIAS A DETERMINACAO DAS INDEMNIZAÇÕES PREVISTAS NO PRESENTE DIPLOMA.

  • Tem documento Em vigor 1995-03-17 - Portaria 197-A/95 - Ministérios das Finanças e da Agricultura

    ESTABELECE AS FÓRMULAS TÉCNICAS NECESSARIAS A DETERMINACAO DAS INDEMNIZAÇÕES PREVISTAS NO DECRETO LEI 38/95, DE 14 DE FEVEREIRO, O QUAL VEM REGULAR AS AVALIAÇÕES DEFINITIVAS DAS INDEMNIZAÇÕES DEVIDAS AOS PROPRIETÁRIOS E DETENTORES DE DIREITOS SOBRE BENS EXPROPRIADOS, NACIONALIZADOS E OCUPADOS NO ÂMBITO DO PROCESSO DE REFORMA AGRÁRIA.

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Clínica Internacional de Campo de Ourique
Pub

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda