Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda

Portaria 1081/82, de 17 de Novembro

Partilhar:

Sumário

Estabelece normas sobre os trâmites processuais de projectos para novas explorações de suínos.

Texto do documento

Portaria 1081/82

de 17 de Novembro

O Decreto-Lei 233/79, de 24 de Julho, e a Portaria 158/81, de 30 de Janeiro, estabelecem um conjunto de normas contemplando a autorização para o exercício da actividade suinícola, bem como a classificação de exploração já em funcionamento, não definindo, no entanto, a tramitação relativa à apreciação de novos projectos nem o modo como deverá processar-se a autorização para o início de obras de novas explorações.

Considerando que um e outro destes elementos são absolutamente indispensáveis à análise dos projectos que terá de preceder a concessão de autorização para início de obras:

Manda o Governo da República Portuguesa, pelo Secretário de Estado da Produção Agrícola, aprovar o seguinte:

Trâmites processuais de projectos para novas explorações de suínos 1 - Para requerer autorização para a construção de novas explorações suinícolas deverá o interessado entregar, em triplicado, com o original e um duplicado selados, nos serviços regionais de agricultura da área onde pretenda instalar a exploração, os seguintes documentos:

a) Requerimento, dirigido ao director-geral da Pecuária, no qual caracterize o tipo de actividade que pretende exercer e indique o nome e a residência do proprietário, bem como o local, freguesia e concelho onde irá ser implantada a exploração;

b) Declaração dos serviços regionais de agricultura da respectiva área, onde conste que os terrenos onde irá ser implantada a exploração não estão abrangidos, para o efeito, pelo regime da reserva agrícola;

c) Declaração da câmara municipal do concelho respectivo afirmando não haver oposição à montagem da exploração suína nesse local;

d) Licença provisória da Direcção-Geral dos Recursos e Aproveitamentos Hidráulicos para lançamento de efluentes;

e) Esboço topográfico da área onde irá ser implantada a exploração, na escala constante nos serviços cadastrais do município, onde se assinalem as vias de comunicação, localidades próximas, habitações e outras explorações pecuárias eventualmente existentes num raio de 200 m;

f) Planta de implantação das instalações, anexos e vedações que se pretendam construir, na escala de 1:1000.

2 - Os serviços regionais de agricultura informarão o requerente do seu parecer, do ponto de vista de defesas sanitárias da futura exploração, em conformidade com o disposto no Decreto-Lei 233/79 e na Portaria 158/81.

3 - No caso de o parecer ser favorável, o requerente deverá entregar, nos serviços regionais de agricultura da área respectiva, para completar o processo, os seguintes documentos, em triplicado, sendo o original e um duplicado selados:

a) Plantas, na escala de 1:100, com alçados e cortes, indicação dos parques, do equipamento, das redes de água de lavagem e bebida, dos esgotos, da electricidade e gás, tanto das instalações principais como dos anexos;

b) Respectiva memória descritiva, onde também conste:

Número de parques para varrascos e respectivas áreas;

Número de celas ou parques para alojar as porcas em cobrição e respectivas áreas;

Número de celas ou parques no sector de gestão e respectivas áreas;

Número de compartimentos no sector de maternidade;

Número de celas de maternidade por compartimento e respectivas áreas;

Número de compartimentos no sector de pós-desmame;

Número de baterias por compartimento e respectivas áreas;

Número de compartimentos no sector de engorda, quando existam;

Número de parques de engorda por compartimento e ou no total, bem como as respectivas áreas;

Número de compartimentos no sector de testagem, quando existam;

Número de celas ou parques para alojar os animais em testagem e respectivas áreas;

c) Plano de produção da exploração, visado por médico veterinário, com indicação do número da respectiva carteira profissional, onde conste:

Produção anual prevista e seu escalonamento ao longo do ano;

Número de varrascos por raças;

Número de porcas reprodutoras por raças;

Número de porcas em cobrição alojadas por parque;

Número de grupos de porcas para cobrição;

Número de porcas que constituem cada grupo;

Intervalos de cobrição entre cada grupo;

Idade dos leitões ao desmame e respectivo peso médio;

Número de leitões por bateria;

Tempo de permanência dos leitões no sector de pós-desmame, com indicação dos pesos médios à saída;

Número de porcos por parque de engorda;

Tempo de permanência no sector de engorda, com indicação dos pesos médios à saída;

Programa de testagem, quando for caso disso;

Duração dos vazios sanitários nos diferentes sectores;

Plano alimentar adoptado;

Plano profiláctico adoptado;

d) Plano de hibridação, quando for caso disso.

4 - Se o projecto for de produção de porcos para abate e estiver de acordo com as normas regulamentares do Decreto-Lei 233/79, de 24 de Julho, os serviços regionais de agricultura emitirão o seu parecer e acompanharão a execução das obras autorizadas.

5 - Se o projecto for de produção de reprodutores, os serviços regionais de agricultura enviarão à Direcção-Geral da Pecuária o original do processo com o seu parecer.

6 - Depois de analisado o processo na Direcção-Geral da Pecuária, e no caso de merecer aprovação, será do facto dado conhecimento ao requerente, através dos serviços regionais de agricultura, para início das obras, que serão acompanhadas por estes serviços.

Secretaria de Estado da Produção Agrícola, 27 de Outubro de 1982. - O Secretário de Estado da Produção Agrícola, José Vicente Carvalho Cardoso.

Anexos

  • Texto integral do documento: https://dre.tretas.org/pdfs/1982/11/17/plain-82864.pdf ;
  • Extracto do Diário da República original: https://dre.tretas.org/dre/82864.dre.pdf .

Ligações deste documento

Este documento liga aos seguintes documentos (apenas ligações para documentos da Serie I do DR):

  • Tem documento Em vigor 1979-07-24 - Decreto-Lei 233/79 - Ministério da Agricultura e Pescas

    Estabelece normas relativas ao registo, autorização para o exercício da actividade e classificação das explorações de gado suíno. Prevê incentivos técnicos e financeiros nesta área, fiscalização e regime contravencional. O presente diploma não é aplicável às Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira.

  • Tem documento Em vigor 1981-01-30 - Portaria 158/81 - Ministério da Agricultura e Pescas

    Aprova e põe em execução o Regulamento de Produção Suínicola.

Ligações para este documento

Este documento é referido nos seguintes documentos (apenas ligações a partir de documentos da Série I do DR):

  • Tem documento Em vigor 2000-08-21 - Decreto-Lei 194/2000 - Ministério do Ambiente e do Ordenamento do Território

    Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 96/61/CE (EUR-Lex), do Conselho, de 24 de Setembro, relativa à prevenção e controlo integrados da poluição proveniente de certas actividades. Estabelece medidas de prevenção e controlo do ruído e da produção de resíduos e prevê a sua aplicação no controlo dos perigos associados a acidentes graves que envolvam substâncias perigosas de poluição marítima e de combate à poluição no mar.

  • Tem documento Em vigor 2001-07-02 - Resolução do Conselho de Ministros 76/2001 - Presidência do Conselho de Ministros

    Ratifica alterações e republica em anexo a versão integral e actualizada do Regulamento do Plano Director Municipal de Portel .

  • Tem documento Em vigor 2008-11-10 - Decreto-Lei 214/2008 - Ministério da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas

    Estabelece o regime do exercício da actividade pecuária (REAP).

Aviso

NOTA IMPORTANTE - a consulta deste documento não substitui a leitura do Diário da República correspondente. Não nos responsabilizamos por quaisquer incorrecções produzidas na transcrição do original para este formato.

O URL desta página é:

Atenção

Tendo em conta a melhoria do site oficial do DRE, tenho de ponderar a continuação deste site no futuro. Vou tentar fazer rapidamente um post com os prós e contras da manutenção deste site de modo a dar aos utilizadores uma forma de expressarem a sua opinião sobre este assunto.

Como a adaptação do software para obter o texto dos documentos a partir do novo site do dre é trivial, já estamos neste momento a actualizar a base de dados.

Outros Sites

Visite os nossos laboratórios, onde desenvolvemos pequenas aplicações que podem ser úteis:


Simulador de Parlamento


Desvalorização da Moeda